Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

sexta-feira, 17 de julho de 2009

TRÊS TACHOS

Tela citada em texto abaixo está com foto exposta na coluna ao lado
TRÊS TACHOS
Aqueles três pequenos tachos reluziram em minha lembrança. Estampados em sonhos denunciaram magia aquecida pela fé ida de encontro à luz representada pelo fogo de todos os tempos.
Nos três tachos o cobre com sua inconfundível tonalidade. Lembrança de criança na cozinha antiga daquela fazenda afastada de tudo. E lá no meio de tanto detalhe o tacho ensolarado por sua imponência em cobre maciço.
Em cada um dos tachos labareda acesa pela outra acesa pela outra, composição de unidade tão sutil.
É poesia no fogo luz cor que vem trazer a tinta óleo à tela painel que diz: Sempre fazemos falta para alguém em algum momento em algum lugar.
Tachos em tochas que iluminam painéis em frases sinais que surgem da luz do gesto do pensar.
Belo Horizonte, 17 julho 2009
DA PESQUISADORA
Nem completou a pergunta para que ela respondesse à pesquisadora ser o seu candidato aquele que estava na frente ganhando. Era uma mulher grande encorpada decidida voz firme. Por isso respondeu perguntando qual o que estava na melhor posição.
Pesquisadora reagiu insistiu negando informação porque aquilo era uma pesquisa séria e exigia sigilo. A mulher de um riso assim meio debochado argumentou dizendo estar a pesquisadora desatualizada. E completou conjeturando ser político igual planeta; ficou pequeno está fora do sistema. E foi logo querendo saber se a pesquisadora não tinha notícia do que aconteceu com Plutão.
E a conversa rendeu assunto que conto depois.
Belo Horizonte, 08 setembro 2006

12 comentários:

Renata disse...

Sempre belos! Bjs e bom final de semana.

Giane disse...

Querido Cadinho;

A descrição, de tão bela, faz a gente ver toda a cena.

Beijos mil!!!

DO disse...

Ah,estas lembranças...

Otimo fds a vc,Cadinho. Grande abraço!!

Daniel Savio disse...

Tacho de doce são lindos, seja por fazer o doce própriamente dito, ou para enfeitar...

Pesquisadora serviu para o que?

Qual foi a pauta da pesquisa, os folhetos do Cadinho Roco?

Fique com Deus, menino Cadinho.
Um abraço.

Mah (Mayra Lobão) disse...

Olha só, agora o blog Como Perder Aquela Garota está com o time renovado e terá muitos mais posts, inclusive hoje estreou a seção Essa Imagem Faria Você Perder Aquela Garota... Dá uma olhadinha, diga se gostou e veja como pode colaborar com a gnt ;D

Bjoo!!

Nilson Barcelli disse...

Dois excelentes textos.
Onde a qualidade da narrativa e a capacidade de síntese são notáveis.
Caro amigo, bom fim de semana.
Abraço.

♥ Mαrcellα L. disse...

Otimo final de semana para você.
Post novo. Beijos

Érica disse...

Muito bom. Tachos, um tempo passado, vivido e recordado. É sim, sempre tem alguém que sentimos falta, ou algo que tenha marcado nossa história.
Beijos

Cleo disse...

Tachos de cobre, tenho um que era da minha avó onde fazia os doces, hoje está num lugar de destaque na minha decoração. ah! doces lembranças. a poesia do fogo trouxe luz e cheiros inconfundíveis de vivências mil.
Obrigada Cadinho por trazer esta doce lembrança.
Beijos mil no coração e um final de semana esplêndido.
Cleo

Hod disse...

Bons textos; Na imagem dos Tachos transportei-me para uma época onde o povo em frenesi cantava...

" 70 milhões em ação pra frente Brasil do meu coração..!!
Enquanto que, uns e outros desapareciam ou abandonavem o País.
Eu adolescente estudava num Colégio Agrícola da Congregação Salesiana de Dom Bosco.
No primeiro ano ginasial, por três horas de 2ª a 6ª aprendia capinar e plantar a cana de açucar. Cortá-la e carregá-la no transporte. Moer e ver aquele caldo transformar-se em açucar mascavo. Com o tacho de cobre reluzindo.
Pagava para estudar. Pagava para trabalhar, além de ser alvo da exploração de mão de obra.

Do texto seguinte; a imagem da "Velhinha de Taubaté, saltou da memória. Lembra a personagem que Luiz Fernando Veríssimo criou para ilustrar os desmandos e escândalos, gestando na mente de milhões de pessoas, a esperança de um Brasil melhor. Como sabemos L.F.V. deu fim a personagem, numa crônica onde ela vendo TV soube do que havia acontecido com seu maior fã o então, Ministro da Fazenda Antonio Palocci. Não acreditando no que ouvia e via viria a falecer..

Ainda nos dias de hoje existem milhões de "Velhinha de Taubaté" personagem de L.F.V, que acreditam no que o governo e os políticos falam.....

http://sopaodeletras.blogspot.com/2007/11/blog-post_19.html

Cadinho...Bons textos!!

Aloha!!
Hod.

HSLO disse...

Torna-se cada vez mais necessário passar por aqui. Viver aqui.

Abraços

Hugo de Oliveira

Giane disse...

Oi, Cadinho!

Desculpe a ousadia, mas preciso de um favor...
Deixei uma pergunta no ar lá no Alfarrábio e gostaria - se possível - ler sua resposta lá.
Desde já, eu Agradeço!

Beijos mil!!!