Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

BOBAGEM

Chega um momento em que percebemos ser bobagem certas atitudes que assumimos por aí

BOBAGEM

Bobagem é discutir bobagem.

Em conversa com João da Barra e Batistão, a conclusão de que não dá pra discutir bobagem. Política, Cidade X e outras aberrações ficam perdidas pelos ventos de São João da Barra que parece não entender o princípio da coisa.

Bobagem é discutir bobajada de coisas feitas e assumidas por aí, por passos e rompantes que, cá entre nós, sugerem bocejos.

Diante de tanta bobagem é natural concluir que bobagem é discutir bobagem.

Belo Horizonte, 20 setembro 2010

FAZENDA DO CERCADO

“Renuncie aos seus desejos e encontrarás o que o seu coração deseja.” A frase é de São João da Cruz e traz consigo abrangência infinita. Sendo assim, ela poderá também transitar pelos nossos propósitos relacionados ao Circuito Estrada Real.

Quando enfatizada a questão da ausência de Belo Horizonte no Circuito Estrada Real, o propósito não limita-se ao seu aspecto crítico ou de pura e simples resistência ao desempenho de todo um trabalho. Ele vai além, por estabelecer oportunidade para reflexão relacionada ao que é feito e dedicado à capital mineira, que já ao ser implantada sofreu duras e severas reações a darem a ela tratamento de enfático desprezo.

Ao reconhecer toda pertinência em criar-se o Circuito Estrada Real, nada mais simples do que ponderar pela sensatez diante do que pode e deve ser ajustado. Belo Horizonte, a bem da verdade, surgiu com a chegada do século XVIII, exatamente no ano da graça de 1701, quando o bandeirante João Leite da Silva Ortiz, companheiro do famoso bandeirante Borba Gato, construiu a Fazenda do Cercado. Em 1711, o Governador Antônio de Albuquerque Coelho de Carvalho oficializou a posse em favor de João Leite, por intermédio da carta de sesmaria lavrada no Arraial de Caeté. A propriedade vinha da Serra de Congonhas, hoje do Curral, até a lagoinha, hoje bairro da Lagoinha.

Belo Horizonte, 14 dezembro 2003

9 comentários:

Daniel Savio disse...

Eu não diria que seja bobagem, as vezes uma questão de ser coeso com as próprias idéias...

Fique com Deus, menino Cadinho.
Um abraço.

Dona Sra. Urtigão disse...

Nossa civilização, com sua inversão de valores faz com que pareça bobagem o que deveria ser relevante. Ou voce segue defendendo suas bandeiras ( e se dilacera) ou adere ( IIHRRC!) ou apenas segue, da melhor maneira possível.
e agradecida pelos fragmentos da história

Valéria Sorohan disse...

Cadinho, estou sempre aprendo um pouco mais com seus post.

BeijooO*

Inside Me disse...

cadinhoo, meu bem, q grata surpresa... vc e seu modo peculiar de escrever... adoro... discutir problemas as vezes é tenso mesmo, tem hora q parece querer saber se quem nasceu primeiro foi o voo ou a galinha =x
o jeito é torcer pra q as coisas encontrem logo seu lugar ...
bj, meu querido.

Baby disse...

"BOBAGEM é discutir bobagem"
Concordo absolutamente consigo.
E discutir bobagem serve apenas para matar o tempo que consideramos morto.

Abraço.

Ana Paula Duarte disse...

Huum, uma verdade sábia essa...Já faz um tempo que deixei de discutir bobagens, economizei rugas!
rs.
Estou em www.anaconfabulando.blogspot.com
Visite-me!

Ana Maria disse...

E essa politicagem é simplesmente uma grande bobagem; no final fica tudo do mesmo jeito.
Mas enfrentar, é o melhor.
Beijinhos querido amigo.

Ana Miranda disse...

Eh...eh...eh..
Fiquei meio sem entender bem o que isso quer dizer.
Será que renunciando ao meu desejo, meu coração vai sanber o que eu realmente desejo????
Por que o desejo do meu coração tem que ser o meu, né não???
Ih, acho que baguncei tudo...

Magui disse...

O melhor de tudo e ler vc ( no primeiro texto) e identificar o mineiro falando.Adorei!