Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

domingo, 21 de novembro de 2010

CASINHA DE MADEIRA

Passamos por momentos e situações diversas vida afora

CASINHA DE MADEIRA

Resolvo escrever carta pra mim mesmo que estou em Belo Horizonte – BH, mas com sentimento em São João da Barra – SJDB.

Muito embora eu tenha viajado nem faz tanto tempo, a saudade é enorme e implacável. Até meu corpo sente tal situação que parece comprimir o coração em BH e soltá-lo em SJDB. Mas não é só isso. Fica sempre a sensação de um tempo perdido em BH, em contraste com a necessidade do meu estar no tempo de SJDB. Por isso é que estou sempre a buscar notícias e imagens de SJDB que vão desde a exuberância do mar até a uma graciosa casinha de madeira que faz as vezes de caixa pra receber remessas dos correios.

Resolvo escrever carta pra mim mesmo, mas de repente sinto não ter muito que dizer daqui de BH para o meu viver em SJDB.

Belo Horizonte, 21 novembro 2010

SENTIDO INVERSO

Enquanto só encontro descida pelas trilhas desse buraco, eis que deparo com Franco vindo em sentido contrário, ou seja, subindo. Pergunto-lhe sobre o que viu e viveu por onde passou e para onde está indo. Ele então diz que transita, como eu, pelas trilhas que vão surgindo desse nosso mesmo buraco. Diz ainda que desceu muito e que depois de determinado momento as subidas começaram a surgir. Tal como eu, ele não tem como retornar, nem valer-se de qualquer indicação minha. Estamos em situação semelhante. Assim é que seguimos, cada qual com seu caminho, agora em sentido contrário. Mas, diante das encruzilhadas, desvios ou meras bifurcações, poderemos estar assumindo rumos diferentes.

Sigo descendo por aquela trilha, que então apresenta outra curva e a aparição de dois caminhos. Seguirei em qual deles?

Belo Horizonte, 28 dezembro 2004

9 comentários:

Daniel Savio disse...

Menino, sabe que tu me lembrou um ato bom, de escreve carta para si próprio para ser achado num momento qualquer...

Parece até que é outra pessoa, mas somos nós mesmos no momento que achamos a carta.

Fique com Deus, menino Cadinho.
Um abraço.

Afrodite disse...

Oi Cadinho,
Essa sua saudade deixa mei coração pequenininho...até quando vc ficará sem rever sua S.J.Barra?
Um beijo!

HSLO disse...

Oi Cadinho...

passando pra te desejar um ótimo domingo.

abraços
de luz e paz

Paula Barros disse...

Tem momentos que sentimos saudade de nós mesmo...porque lá naquele lugar és feliz com o teu ser.

abraço!

Canto da Boca disse...

Aí está uma boa pergunta, Cadinho: qual caminho seguir? Todos os dias temos essas encruzilhadas e milhões de indagações, e vamos seguindo, nem sempre com as melhores escolhas, mas com as possíveis...

P.S.
Eu também já tive um tempo de escrever para mim mesma.

Abraço.

cris disse...

Complicado nem é escolher o caminho, é continuar nele quando começam a aprecer as pedras do caminho...

Daniela disse...

Olá, Cadinho.
Boa noite!!
Vim agradecer e retribuir a visita ao meu blog e agradecer ao comnetário.

Adorei teu blog, realmente uma das saudades mais doídas, acho que é a saudade de nós mesmos, de um tempo que passou, do que já fomos e agora não volta mais!

Abraços,

p.s: estou te seguindo :-)

JuJu disse...

Ora, ora! A saudade é assim mesmo, Cadinho! Principalmente quando se tem um carinho tão grande pelo o que deixou como você tem por SJDB.
...
Passe lá no meu blog e deixe seu comentário!!!

Agatha S. disse...

Adorei o blog!
Beijos,
http://agathasplace.blogspot.com