Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

DA LIBERDADE

Quando entregue à criatividade não tenho como deixar de me permitir

DA LIBERDADE

Não é todo dia e nem toda hora que consigo da arte obter possibilidade para pintar. Não sei o que acontece, mas sei que não é sempre que acontece o empenho necessário para que a pintura brote, seja na tela do painel, seja no tecido do boné. Há momento em que chego a sentir necessidade de pintar, mas mesmo assim não consigo encontrar o acesso, o caminho ou o libertar do movimento. Por isso é que bem sei não ser fácil e nem simples o que faço e que sei parecer tão simples e tão fácil, porque o que de fato busco experimentar é a simplicidade que há quando então nos tornamos facilitados por nosso próprio libertar.

Somos livres em nós mesmos?

Esta é a pergunta que então encontro dando voltas em mim mesmo. E antes mesmo de alcançar a resposta, eis que ela mesma alcança o meu ser pra mostrar que o libertar não se prende a nada por se permitir a tudo.

Quando racionalizo, não me permito à pintura que faço; daí a obstrução.

Pinto imagens da mais viva liberdade despojada de conceitos e formas prévias.

Belo Horizonte, 09 dezembro 2010

ESPAÇO EXPOSTO

No princípio tudo parecia calmo muito calmo. Havia sim, inocência de uma alegria qualquer, brincadeira de palavras a buscarem idéias e intenções. Mas, do vazio das coisas a necessidade de preenchimento qualquer. E de cada necessidade nossa, contradições que afirmam sermos mesmo contraditórios.

Acordo muito cedo e saio por aí deixando como rastro, folhetos que escrevo. Eles representam sementes, esperança de um plantio que quer precisa colher o fruto patrocínio alimento de sobrevivência. O dia parece acordado, mas ainda com vontade de ser dia, na presença dela que surge do mais inesperado dos lugares. Sua imagem, traduzida pela mesma sensação de distância antes sentida, não esconde delicada reação de surpresa. No silencio espaço exposto entre nós, reconhecemos nossos seres.

Belo Horizonte, 26 abril 2005

7 comentários:

мαясєllα Ϟ disse...

veja esse vídeo please, é pra uma promo
e precisa de mais visualizações =)
http://www.youtube.com/watch?v=2yO5sZ4B6FI

bjos*
www.marcellagiroldo.com

Afrodite disse...

Não sei responder essa amigo,ás vezes somos prisioneiros de nós mesmos...
Beijo!

Mônica disse...

Cadinho
Dois temos que se unem em algum ponto de nossa vida. Silencio e Liberdade.
com carinho MOnica

miguel disse...

Acredito que todos enfrentamos esses momentos de indecisão. Depois do simplesmente nada a atitude nos brota ainda mais reluzente. Saudação amigo.

† Dandara † disse...

Olá, meu querido!
Vim agradecer-te pelo comentário e visita em meu blog;*

Desde já retribuindo-te.

bjos;*

Tatiane Lemos disse...

Oi, fico grata pela visita em meu blog!

Sabe moço, temos que encontrar a liberdade dentro da gente, saber nos perdoarmos, e depois buscar a liberdade mesmo!

Bj

Gabriela Andrade disse...

Moço, gostei bastante do teu blog e dos teus escritos. Acompanharei e obrigada pela visita (: