Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

APURAÇÃO DOS FATOS

Não dá pra aceitar tudo calado

APURAÇÃO DOS FATOS

A situação de calamidade estampada na região serrana do Estado do Rio de Janeiro traz a oportunidade para que reflitamos com todo empenho sobre o tamanho da responsabilidade que há em ser prefeito(a), em administrar um município.

Quando João da Barra cita presenças do Dr. Pesadelo e Dra Enxaqueca em São João da Barra, mostra a razão de ser desses personagens que só existem porque na outra ponta observamos administrações públicas desastrosas e em alguns casos criminosas. Não é possível admitir tantas mortes que poderiam ser evitadas caso houvesse mais investimento para com a preservação da vida, mais atitude nas ações preventivas, ao invés de ficarem só com políticas de aplauso, de discurso demagógico, de um populismo rançoso e alienado.

A realidade que hoje mostra, por mais uma vez, um Estado do Rio de Janeiro transbordado pela dor tem de ser muito bem apurada, para que não sejamos mais vítimas de políticos corruptos, cínicos e incompetentes.

Belo Horizonte, 17 janeiro 2011

TRILHA DO TEMPO

São muitas as lições, recomendações, observações e ponderações feitas para que tenhamos êxito em obter aquilo que pretendemos. São poucas as passagens a permitirem que cheguemos a tudo que pretendemos, quando resolvemos partir pelos tantos artifícios a iludirem nossa crença antes carente de verdade. E a verdade é está em tudo aquilo que não falsifica, que não simula e que não fica entregue ao ajuste da conveniência, no mais das vezes terminado em conflito.

A viagem da expectativa mostra o quanto é prudente estar sempre acordado para o que de fato estabelece a pura essência da busca. Mostra o quanto é importante estar em paz com a força que há na simplicidade do querer que acredita em sua plena existência. Mostra a beleza que há no natural envolvimento de cada parte do propósito a formar o todo desta ida que sabe para onde está indo. Até mesmo o cavalo Noturno percebe que quando caminhamos estamos indo para algum lugar. E mesmo que ele não saiba que lugar é este, há nele a postura da confiança silenciosa e mansa a seguir pela trilha que também passa a ser sua nossa. Somos o caminho do nosso caminhar, o passar do nosso presente e a presença do nosso futuro. Mas será que passado presente futuro são tão somente nosso? O nosso tempo será só nosso.

Belo Horizonte, 29 dezembro 2005

2 comentários:

Elaine Castro. disse...

Será só nosso o tempo? Tantas indagações, também reflito sobre tudo isso que está acontecendo...
Enfim, só não podemos ficar de "mãos atadas".
Beijos.

Daniel Savio disse...

Infelizmente, é uma bola de neve, passada / aumentada de um governo para o outro...

Fique com Deus, menino Cadinho.
Um abraço.