Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

DESDITA

No singular da vida o plural do sentir de tantas coisas

DESDITA

Sou sonho vivo

Sou presença presente

Sou o que cativo

Sou alguém que sente

Este ser emotivo

Por vezes contente

Eu sem motivo

Pra deixar de ser gente.

Ma há um instante

Em que a angustia grita

Deixando-me diante

De quietude aflita

A colocar-me palpitante

Em implacável desdita.

Belo Horizonte, 28 janeiro 2011

IDEIAS ÚMIDAS

Tarde trouxe a noite movimentada, muito movimentada. Carros transitando por todas as ruas avenidas da cidade, num ir e vir frenético. Chovia fininho. num contraste manso transparente, eu caminhando no silencio de idéias umedecidas emudecidas por propósitos talvez até congestionados pelo fluir de tantos acontecimentos.

Encontrei-a assim na noite escura do seu vestir discreto. Mundo ausentou-se? Foi pensamento que riscou céu, relâmpago lá fora dentro de mim. Vieram pessoas, surgiram conversas e quando acordei, encontrei-a em meu sonho.

Belo Horizonte, 08 março 2006


9 comentários:

Marilu disse...

Querido amigo tenha um lindo final de semana. Beijocas

Afrodite disse...

Oi Cadinho,
Passei pra te deixar um beijo e desejar um lindo fim de semana!
Afrodite

Valéria Sorohan disse...

Nos olhos da alma tudo pode se tornar um verso infindo.

Saudade de ler você.

BeijooO*

Sonhadora disse...

Meu querido amigo

Um poema lindo...da alma brota tudo o que sentimos.

Deixo um beijinho
Sonhadora

Ira Buscacio disse...

Cadinho,

Os nossos silêncios é que gritam mais alto.
Bjs e lindo fds

Sandra Botelho disse...

Poxa, que lindo amigo!
Que poema maravilhoso e como é bom sonhar acordado. Bjos achocolatados

Déia disse...

Que lindo Cadinho!

A poesia enriquece nossa vida!

bj

JuJu disse...

Muito legal o poema, meu caro!
...
Passe lá no meu blog e deixe seu comentário!!!

Daniel Savio disse...

Nada é sem motivo menino, nada, mesmo um sorriso simples ao ver o sol nascer (pois vai dizer que não sorriu com isto?)...

Fique com Deus, menino Cadinho.
Um abraço.