Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

domingo, 9 de janeiro de 2011

DISPONÍVEL

Quando a situação aperta...

DISPONPIVEL

Não tenho nenhuma razão para amenizar meu dizer no que refere-se a São João da Barra - SJDB. No entanto tenho sim a necessidade de vender pinturas que crio, de fazer dinheiro pra minha sobrevivência, de ser objetivo naquilo que impõe praticidade ao meu viver.

Ao meu pensar, SJDB é hoje município com fortes limitações demarcadas por enorme ilusão em um amanhã distante e que não creio tão promissor para o município. Aceito e estou ao dispor para o que estiver ao meu alcance oferecer a SJDB, desde que haja ambiente para negociação saudável e eficaz. Não sou nenhum hipócrita pra ocultar minha condição profissional que tem muito a oferecer, mas que precisa de reconhecimento e, pra ser bem direto, pagamento em dia.

Tenho profundo respeito por SJDB, mas hoje acordei com a necessidade de buscar vendas das pinturas que crio, de fazer dinheiro.

Fica aí meu recado ao dispor de todos.

Belo Horizonte, 09 janeiro 2011

LIÇÃO DO COLCHÃO

Tudo pode acontecer a partir de uma loja de colchões, porque tudo pode acontecer a partir de nós mesmos. Mas se nem tudo acontece é porque também somos dotados de dúvidas que surgem interferindo e alterando curso dos nossos propósitos. São sonhos que por tantas vezes não conseguem alcançar a plenitude do nosso acreditar.

Em uma loja de colchões somos naturalmente induzidos ao que podemos proporcionar aos nossos sonhos. Somos despertados por tudo aquilo que conforta nosso adormecer. Temos a oportunidade de perceber o quanto é importante o tal do colchão em nossas vidas, mesmo estando ele, no mais das vezes, escondido vestido por roupas de cama tão interessantes quanto aconchegantes.

A vida de qualquer um de nós poderá viver incríveis experiências e eternas transformações justo quando tem seu corpo sustentado pela inocência de anônimo colchão, cuja discrição há de ser mesmo recompensada por nosso mais justo reconhecimento. Em sua quietude o colchão guarda testemunhos difíceis até de serem decifrados acreditados. Por isso mesmo, melhor a fazer é aprender com o colchão a silenciar o que está feito para não ser propagado por aí.

Belo Horizonte, 12 novembro 2005

6 comentários:

ღPat.ღ disse...

Obrigada por teu carinho em meu blog...

Sabe, quando venho aqui.. lembro do nosso saudoso amigo Halley. Quando ele estava na sua cidade ligou-me dizendo que iria conhecê-lo, estava todo feliz e adorava falar de ti com tanto carinho fraterno.

Deixo aqui meu registro da memória de um tempo feliz e um beijo especial.

pat.

Rosangela Neri disse...

Assim vou dormir.

Voltarei logo.

Bj da Rô

Fatimawine disse...

Obrigado por saberes a diferença entre um néctar de excepção e, um vinho de consumo corrente.
Permito-me um desafio: desenha um rótulo de um vinho do outro mundo e, quem sabe possamos fazer negócio.
Um abraço,

FABIOTV disse...

Olá, tudo bem? Opa.. Trocou de foto no perfil hehe.. Abraços, Fabio www.fabiotv.zip.net

Mz disse...

E quem deve tem de pagar, é justo!
Gostei das suas telas, parabéns e continue sendo criativo.

Flor de Lótus disse...

Realmente tem coisas a nosso respeito que só o colchão e o seu companheiro travesseiro sabem e que bom que eles não tem boca pra espalhar por ai nossos defeitos e desejos...
Uma ótima semana!
Beijoss