Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

DOUTOR PESADELO

João da Barra sabe tudo

DOUTOR PESADELO

João da Barra aparece pra dizer que está no verão sanjoanense o não menos famoso Dr. Pesadelo que não conheço nem nunca ouvi falar. João da Barra diz ser o homem autoridade nacional no que refere-se a processos de impeachment de prefeitos(as\. É também conhecido como Coisa Ruim porque onde chega promove verdadeiros pesadelos para prefeitos(as). Só nestes últimos 24 meses já conseguiu êxito em 4 processos que culminaram no impedimento de mandatos já sem chances de recursos, dentro e fora do Estado do Rio de Janeiro.

João da Barra diz que o homem está que perambula por toda São João da Barra SJDB, sempre com seu jeito próprio de quem ouve tudo e diz nada. Há conversa de que está em momento de descanso, muito embora haja a versão de que no dicionário do Dr. Pesadelo não existe a palavra férias. O que faz da sua presença em SJDB fato ainda mais intrigante, até por ter a prefeita dito, em recente depoimento transmitido por emissoras de rádio, que sabe haver quem queira o seu impeachment.

Belo Horizonte, 13 janeiro 2011

SABEDORIA UINIVERSA

“Quanto mais corremos atrás do cavalo que foge, mais para longe ele vai.” Desde que tive oportunidade de ler conhecer este ditado chinês, poucas não foram as vezes em que da lembrança recorri a ele em nome da sensatez. É evidente haver na fuga todo propósito de afastamento. É evidente haver no afastamento estímulo à distância. Mas será evidente assumir sempre atitude de afastamento distanciamento? Se ao invés de simplesmente correr atrás do cavalo houver instante dedicado ao que ocasiona sua fuga poderemos, pela compreensão, agir com mais prudência e eficácia.

O cavalo tem jeito próprio de comunicar seu querer e sentir. Enquanto animal vivo ele tem o seu mundo e modo de entender o que acontece à sua volta. Mas o tal ditado, mesmo tendo cavalo como protagonista, tem serventia que vai muito além da situação ilustrada por ele. No entanto, interessante perceber que o sábio autor do ditado chega a tão expressiva conclusão, justo quando permite-se a aprender o que o cavalo tem para ensina-lo em tão singular circunstância.

Belo Horizonte, 05 dezembro 2005


2 comentários:

Mirze Souza disse...

Cadinho!

Amo São João da Barra! É um paraíso!


O animal que foge, seja ele cavalo, gato, cachorro etc... difere em força e essência da nossa, a humana. Acredito que ele foge com tanto empenho, e determinação que só outro da mesma espécie pode fazê-lo parar.

Não sei se estou certa, mas assim penso.

Beijos

Mirze

Rosangela Neri disse...

Passei pra te desejar uma ótima sexta.

Falando nisso, como está o clima aí?

Bjks