Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

sábado, 22 de janeiro de 2011

SOTERRADO

De dois momentos chuvosos

SOTERRADO

Silencio na dor

Destruição de sonho

Construção da tragédia

Estranho calor.

Pensamento tristonho

Gesto desolador

Que vem compor

Em vida mais um dia

De tanta morte

De tanto desalento

Arder de corte.

Vazio no vento

Vida sem norte

Soterramento.

Belo Horizonte, 22 janeiro 2011

SÁBIO CAVALGAR

A tristeza do mato cresce querendo alcançar altura atingida pela alegria da árvore. Vem chuva animar tristeza do mato viçoso. Ainda assim, árvore deixa chuva passar por seus galhos tão felizes.

Brotam flores, frutos da alegria da árvore. Do mato, tristeza inibe sementes para que o bom plantio resulte em nada. Ainda assim elas brotam nascem crescem árvores.

Cavalo Noturno atravessa o mato fazendo crescer qual árvore firmeza do seu cavalgar. Ao desafiar a tristeza é que ele consegue alcançar a doçura do bom fruto nascido da alegria. Galope de ensinamento do cavalo Noturno?

Belo Horizonte, 30 janeiro 2006

13 comentários:

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Cadinho!

Tanta beleza descrevendo tristeza tão real!!!Esse é o valor dos poetas!!!

Um beijo comovido!


Sonia Regina.

Mila Lopes disse...

Mesmo repleto de desastres teu poema ficou belo...

Bjs

Mila

Ira Buscacio disse...

Cadinho, quem não renasce sobre/sob as tristezas?
Bjs e lindo fds

Vivian disse...

...Cadinho meu poeta
querido,

há tanta dor sob as águas,
tanta desolação pelas
cidades,
e a culpa é tão somente
fruto de nossos resgates
tratados com Deus!

se assim não fosse,
que Pai seria este,
algoz dizimando seus
filhos?

um beijo!

obrigada pelo carinho
lá em casa!

Nadine Granad disse...

Linda pintura!
... ou poesia?! rs...

Belas imagens!

Abraços carinhosos =)

FABIOTV disse...

Olá, tudo bem? Gostei da sua poesia.. Ficou bem bacana... Bem construído.. Abraços, Fabio www.fabiotv.zip.net

Janaina Cruz disse...

Há uma dor que sempre estará gritante quando uma catástrofe acontece, como o passa do tempo esse grito vai tentando virar uma canção de força de seguir em frente.

Só há uma coisa a se fazer: Tentar viver...

Cadinho, tua segunda poesia no blog é tão linda e tão ligada a senas˜åo de recomeço, como se tudo que nasce pequenininho, cresce e frutifica:

"A tristeza do mato cresce querendo alcançar altura atingida pela alegria da árvore..."

Abraços e ótimo final de semana

Érica disse...

Oie queridooo!
Muito obrigada pelo seu carinhooo no meu blog, volte sempre!
Beijos!!

Marlene Maravilha disse...

O mundo é cruel e mais dificil é ser impotente diante destas situacoes.
Consegues compor a dor. Bonito!
abracos, e um domingo abencoado!

ONG ALERTA disse...

A tristeza é inspiraçáo, beijo Lisette.

AFRICA EM POESIA disse...

MUITA BELEZA POR AQUI...


Mais um dia de felicidade.

O meu aniversário continua...

Hoje abri as portas do meu cantinho e os amigos vieram
Houve festa e foi lindo...
Assim é bom fazer anos...


UM BEIJOOOOOOOOO

Aleatoriamente disse...

Meu amigo, que poema profundo e lindo.

Um beijo Cadinho.
Fernanda.

Daniel Savio disse...

Um caso que vai demorar bastante para ser apagada da história do Rio de Janeiro...

Fique com Deus, menino Cadinho.
Um abraço.