Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

SIMPLISMO

É tudo uma questão de compreensão

SIMPLISMO

João da Barra surge pra dizer que é de um simplismo enorme alguém chegar e dizer que este é contra, aquele é a favor, este é aliado, aquele é opositor. Isto porque nem sempre a divergência assume posição de adversária ao que defendido é por quem dela discorda. São pelas discordâncias que nascem os acordos, são pelas divergências é que surgem os entendimentos.

Este expediente de apontar o dedo para alguém no propósito de indicá-lo como inimigo, ou adversário, no mais das vezes fica limitado a isso, o que vale dizer que não há nada que possa contrariar ao desejo da mais completa submissão.

A submissão não é, em nenhum momento, marca de respeito. Pode até ser, em algum momento, instrumento para exuberar a compreensão. Mas, quem impõe submissão e quem se permite a ela, pura e simplesmente, tanto um quanto outro age mais pela leviandade do que pelo engrandecimento de ambos.

Grussaí, 08 fevereiro 2011

PEQUENEZ

A atitude de cada um de nós depende de cada um de nós. Ela nasce em nós, encontra ambiente de crescimento em nós e por isso só tem como manifestar-se por intermédio de nós mesmos.

Só que aí esbarramos nas inúmeras dependências que temos uns dos outros. Então a atitude nossa percebe estar ela vinculada por vínculos que temos uns com os outros. Inútil negar tamanha dependência, inútil querer esquivar-se dela. Escapamos de determinada situação, para cairmos em outra também geradora de tantas outras dependências.

Somos todos pequenos demais para o tamanho que, no mais das vezes, imaginamos ter.

Belo Horizonte, 14 maio 2006

5 comentários:

Georgia disse...

Cadinho, obrigada por atender ao meu pedido indo visitar a minha amiga.

Olha, concordo contigo viu. As pessoas vivem muito a aparência, estao cheias de frases feitas...

Abracos

Mônica disse...

Cadinho
Voce me fez lembrar de um causo. Minha tia é cadeirante e foi a um casamento e ela as vezes fala com a mão.
Teve uma hora que ela fez um gesto e alguem do outro lado achou que ela aquele troço que eles falam que é bobagem.
E foi lá avisar.
ela coitada não tinha onde colocar as mãos depois disto e ela fez sem saber.
E a gente que a conmhecia mais sabia que ela fazia assim involutariamente.
Fiquei horrorizada foi com a pessoa não se incomodar de ir lá falar. Eu não falaria deixaria como estava.
Por que assim ela não ficaria tão sem graça.
com carinho MOnica

amante disse...

Olá
A submissão humana ou de qualquer ser vivente não os confere dignidade.
Obrigada pela visita.
Muito boa a sua arte mostrada no sidebar. Parabéns.
Beijos_nus

Denise Portes disse...

Cadinho,
O que acontece é que dessa forma perde a magia.
Um abraço
Denise

sub_ ísis disse...

Adorei em ter sitado a submissão bem sabes porque!
beijos carinhosos

sub_ísis