Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

quarta-feira, 30 de março de 2011

VIRTUDE DA LIBERDADE

O que somos além do que somos?

VIRTUDE DA LIBERDADE

Depois do encontro com família Obama, João da Barra retorna a São João da Barra, à paisagem de Grussaí, ao vento de suas tantas elucubrações, à brisa dos seus momentos de luz, amor e simplicidade. Nada que possa contrariar a natureza do seu viver integrado a este lugar que guarda em seus meandros a essência da paz mais que profunda.

Não há razão para que um homem como João da Barra ostente nada que não seja a pura essência do amor que por força do seu poder, não se prende a situações mais ou menos expressivas. O viver libertado de um homem que não se prende a interesses e necessidades mais ou menos traiçoeiras, por si só consegue ir a dimensão por demais distante da mesquinhez e peso proposto a quem cria formas e atitudes que consigam ostentar e transmitir poder sobre as pessoas.

Belo Horizonte, 30 março 2011

ALGARAVIA

Casa lotérica apertada comprida fila dia de aposta, calor intenso.

Mãe e filho ele uns 20 anos cabelos partidos ao meio nem compridos nem curtos, gestos assim assim.

Diz para a mãe que irá saber tudo direitinho. A mãe olhos esbugalhados face rija talvez 50 anos, cabelos pretos meio descabelados. Dos seus lábios batom indo embora a exclamação: - Algaravia meu filho, algaravia.

Vez deles, bilhete por preencher, peço licença prometo ensinar depois como apostar. Filho agradece cede lugar e ainda diz que sou muito gentil. A mãe olhos em mim e no filho exclama: - Algaravia, algaravia.

Gê realiza minha aposta e ri, deseja sorte com melhor das feições.

Mostro ao filho e à mãe como fazer jogo lotérico. Filho observa agradece e diz que sou muito gentil, outra vez. A mãe, risinho pálido acena a cabeça diz: - Algaravia, algaravia.

Belo Horizonte, 12 março 2007

10 comentários:

tossan® disse...

Meu amigo Candinho você é genial! Virtuoso e livre. Grande edição esta que você nos mostra. Puro e verdadeiro. Abraço

J.W disse...

To me sentindo burra, acho que vou ficar calada pra não falar besteira
mas digamos que eu gostei do post, e gostei daqui

Magui disse...

Por isso não sabem nada. Qt ao primeiro texto não captei a mensagem.

Desnuda disse...

Cadinho,

Sobre o texto: algaravia, algaravia! Penso que senti mais do que compreendi...

Beijos com carinho e ótimo dia.

Claudia Perotti disse...

Beijo beijo! Perdi-me de ti e agora achei novamente!

Raíz disse...

Cadinho!

Nada mais belo que voltar as origens. A simplicidade e a liberdade abre as asas e abriga com carinho aqueles que
Por pensamento ou realidade tiveram um momento de glória.

Algaravia, já significa confusão de vozes, de pessoas estranhas etc...
Achei bonito a descrição da mãe e seu desembaraço ante a situação!

MUITO BOM!

Beijos

Mirze

Raíz disse...

Cadinho!

Nada mais belo que voltar as origens. A simplicidade e a liberdade abre as asas e abriga com carinho aqueles que
Por pensamento ou realidade tiveram um momento de glória.

Algaravia, já significa confusão de vozes, de pessoas estranhas etc...
Achei bonito a descrição da mãe e seu desembaraço ante a situação!

MUITO BOM!

Beijos

Mirze

Ana Agarriberri disse...

Tenha uma bela quinta-feira. Beejo,beejo.

Cristina disse...

Olá!!!

Obrigada por sua visita...vim retribuir. Gostei muito do teu espaço,voltarei sempre!!!

Um abraço

JuJu disse...

Oba! Pelo o que estão dizendo seus últimos posts, você chegou bem perto do Obama quando ele vei cá ao Brasil! Legal!
Adorei o texto da mãe e do filho na loterica. Simples e bonito.
...
Até!