Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

PELO CAMINHO

Tem cada surpresa esparramada por aí!
PELO CAMINHO
     São muitas as surpresas que se apresentam pelo caminho. São muitos os encontros a nos surpreenderem pelo caminho. São muitas as maneiras de reconhecer e conhecer o que então surge no caminho a nos levar sempre para novos lugares, ainda que sejam antigos tais lugares.
     Com o passar do tempo colhemos lembranças, percebemos o que surgiu de plantios feitos ainda que de maneira totalmente espontânea. Interessante perceber que quando vivemos o amor, mesmo com o passar do tempo permaneceremos na sintonia desse amor.
     Muito bom poder vagar por aí sem nenhum receio em esbarrar com frutos brotados do ódio, ou de algum comportamento sombrio.
Belo Horizonte, 29 agosto 2012
REVESES
     Na Ilha da Paz em São Francisco do Sul a presença do Farol. É que gosto dos faróis e digo a João da Barra sentir nos faróis referência de luz que entendo ir muito além daquelas explicações técnicas, estratégicas e avaliadas por procedimentos de segurança e navegação.
     Navego por outra dimensão em São Francisco do Sul que dá ao meu viver sentimento secular de amor e diálogo com o mar, com as praias, com a poesia declamada por ondas e marés, tantos reveses na vida da gente!
Belo Horizonte, 02 maio 2012

5 comentários:

BlueShell disse...

Podem ser os mesmoslugares mas têm sempre algo de novo que não tinhamos visto antes...
Sim, permanecemos na "sintonia desse amos"...mesmo passdas tempos....
Que bom ouvir a poesia declamada pelas ondaas e marés...
Obrigada por teu texto...LiNDO
BShell

Sonhos e Carinhos disse...


Bom dia! concordo com vc.. é muito bom não esbarrar com os frutos brotados do ódio.
Fico feliz em ler vc sempre... tenha uma linda semana.
彡✿✿⊱╮彡✿✿⊱╮彡✿✿⊱╮
Abraços carinhosos
彡✿✿⊱╮彡✿✿⊱╮彡✿✿⊱╮
Lucinha
http://sonhosecarinhosdetimel3.zip.net 彡✿✿⊱╮彡✿✿⊱╮彡✿✿⊱╮

Regina Magnabosco disse...

Caminhos, caminhos... porque tanto nos assustam, tanto nos deslumbram... e porque tanto nos angustiam, tanto nos revelam. E eis que me lembro agora do espanhol Antônio Machado: "Caminhante, não há caminho. O caminho se faz ao caminhar" (tem umas traduções diferentes, mas o sentido é esse). Então, não havendo caminho, é preciso mesmo desbravar o desconhecido, enfrentar bichos e gentes, para chegarmos a algum lugar.
Mas como dói isso tudo, né? Tiremos a dor do peito e seguremo-na bem fechadinha na mão, porque é preciso seguir.
Vamos em frente!
Abraço!

Carla Ceres disse...

Oi, Cadinho! Pra mim, a surpresa boa de hoje foi descobrir que o seu painel que eu gosto mais foi parar na imagem do dia. Abraço!

Ana Miranda disse...

Os mesmos lugares são vistos de maneiras diferentes porque os vemos de acordo com nosso humor.

Quando estamos felizes, tudo é lindo e colorido.

Quando estamos tristes, o mundo fica cinza e sem graça...

E quando estamos amando, além da vermos beleza em tudo, há também a melodia da nossa paixão...

Amar é tããããããão bom!!!