Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

TINHOSO

SÉRIE XAMÃ dos Folhetos Cadinho RoCo
TINHOSO
     Orelhas em pé é sempre bom. Mas Xamã rosna dizendo que melhor é estar com ouvidos atentos. Completo afirmando que a atenção vale mais quando passamos a compreender o que nos é dito. E Xamã com seu jeito tinhoso de ser concorda com insinuação de quem consegue sim chegar ao ponto resmungando: Entender e compreender.
      - Isso mesmo Xamã!
     A compreensão é quem dá serventia ao entendimento, porque entender sem querer compreender o sentido do entendimento é o mesmo que ouvir e deixar pra lá o que lhe foi dito.
     Xamã sabe quando faz uso e abuso da sorte. Finge que não sabe, mas sabe. O bicho é cão com personalidade.
Belo Horioznte, 25 dezembro 2013
GUAIMIY
     - Era dia claro e de tempo ameno a contemplar toda extensão da natureza. Uma luz muito forte, refletida por enorme pedra, cegou meus olhos. Perdido no mato fechado por seus próprios ruídos, eis que caí naquele chão de sombra. Foi a última vez que vi o dia claro em meu corpo vivo.
     Dei por mim em uma enorme oca, cercado por velhos índios que ouviam espécie de prece daquele feiticeiro. Com a chegada de um índio mais novo, que poderia ser o cacique, silencio abria espaço para vinda de outros índios e índias. Meu corpo em uma esteira foi levado para fora, quando o que parecia ser o cacique ofereceu-me o cavalo Robiara cumprindo aquele ritual.
     Meu corpo sem vida foi levado por Robiara à margem do Guaimiy, que significa Rio das Velhas. Uma guaimi (índia idosa) abriu cova na areia, com auxílio de outras índias. Antes de cobrirem meu corpo, colocaram em minhas mãos imagem que logo reconheci ser de Santa Luzia.
     No escuro daquela clara areia do rio, passei a conviver com sonho que dizia ter sido eu eleito Cavaleiro da Meia-Noite, afilhado e protetor da memória de Santa Luzia. Para meu despertar, eu deveria aguardar sinal que iria libertar-me daquele chão.
Belo Horizonte, 05 dezembro 2002


Um comentário:

Magui Só disse...

Espero que estes estertores sejam apenas textos. Boas festas!