Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

sábado, 25 de janeiro de 2014

JÁ VOU

SÉRIE XAMÃ
dos Folhetos Cadinho RoCo
JÁ VOU

Um pernilongo me acordou
Quatro e meia da manhã
Sono da cama escapou
Dormir mais é tentativa vã.
Dessa maciez qual lã
 Percebo que cão farejou
Eis que surge Xamã
Querendo que eu diga: já vou.
Assim começa novo dia
Nessa quietude meio fria
Tempo de tempo nenhum.
Disposição então cria
Apetite no corpo em jejum
Agora cada um é um.
Belo Horizonte, 25 janeiro 2014
HABITAÇÃO MISTERIOSA
     Nascemos uma vez só para renascermos muitas vezes. Convivemos e deixamos de conviver em lugares que vão abrindo permissão a outros. Assim vagamos pela vida que levamos a um mundo de encontros e desencontros marcados por espontâneas sucessões. Ficamos esquecidos e lembrados. Ficamos desocupados e ocupados por infinidade de recursos que vão abrindo e fechando acessos.
     Somos a própria causa de nossas mudanças e transformações, marcadas por buscas e anseios. Somos até o que não sabemos ser. Somos o antes, o agora e o depois também.
     Nascemos para a ilusão e para a realidade, ainda que não consigamos comensura-las. E quando pensamos estar sabendo muito, deparamos com todos os mistérios a desafiarem e habitarem em cada um de nós.

Belo Horizonte, 14 abril 2003

2 comentários:

Célia Rangel disse...

Em nossa realidade, a vida nos chama constantemente para assumirmos nossa missão... De Xamã a pernilongo ou à fome matinal, tudo é o circuito humano da vida pela vida!
Abraço.

Simone Felic disse...

Somo a consequencia de nossas atitudes.
tenha um bom fim de semana
http://eueminhasplantinhas.blogspot.com/