Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

NO FAROL

SÉRIE XAMÃ
dos Folhetos Cadinho RoCo
NO FAROL
     Quando verão promove calor forte aí sim é que saudade do mar bate com força.
     Xamã divide comigo o que de fato ele não conhece, mas que também não desconhece porque de tanto ouvir e testemunhar esses meus momentos já considera o mar inserido em seu mundo.
     Trocamos ideias sobre planos e projetos, oportunidades de trabalho e realização. Quer conhecer aquele farol instalado na praia, bem no conhecido Cabo de São Tomé citado nos mapas do Brasil.
     Xamã então aproveita oportunidade pra dizer que precisa marcar aquele território com sua urina na torre que ostenta o farol.
Belo Horizonte, 17 fevereiro 2014
RESTA A ESPERANÇA
     Deixei recado cheio de esperança, porque é tudo que me resta. Mais que isso é pensar nos sonhos que povoam noites e dias que passam em busca daquelas noites e daqueles dias que não passam nunca. É como caminhar na certeza de estar indo para algum lugar que não chega nunca, mas que em algum momento chegará. É como preparar corpo e mente para aquele encontro pretendido e esperado pela intenção de estar dando ao viver, razão nova de ser.
     Enquanto isso, aparições que vão desafiando a crença e a disposição do agir. O deparar com surpresas que vão propondo desvios e acessos incompatíveis com o rumo antes tão seguro de sua direção. O aceno que sugere passagens perdidas em sombras identificadas por enganos e andanças transformadas em desalentos.
     Resta a esperança. A mesma esperança que traz fôlego aos pulmões e calor ao coração que insiste em dar ao sangue o oxigênio do amor.

Belo Horizonte, 21 julho 2003

3 comentários:

Carla Ceres disse...

Faz tempo que não comento sobre seus painéis, Cadinho. Eles ficaram muito bonitos emoldurados. Boa semana!

Fê blue bird disse...

Os seus textos são como as suas telas, intensos e cheios de sensibilidade.
Parabéns!

beijinho

Célia Rangel disse...

Valeu, Xamã! Esse é um cão insistente!
Afinal, as "esperanças", Cadinho complementam nossa vida!
Abraço.