Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

sexta-feira, 21 de março de 2014

CAUSA E EFEITO

SÉRIE XAMÃ em curso e SÉRIE ESTRADA REAL nascida em setembro de 2003 dos FOLHETOS CADINHO ROCO
CAUSA E EFEITO
     É sabido que para renovar é preciso esvaziar. Permitir a passagem do que então cederá espaço para a vinda de novas situações e aquisições.
     Xamã perde dentes de leite para o nascer dos definitivos que darão a ele novo aspecto. Um cão-de-guarda com postura firme.
     Num outro aspecto Xamã se mostra tranquilo e sem ter que responder a latidos alucinados de cães que demonstram espécie de desorientação em seus comportamentos. Daí a importância do diálogo com o cão da nossa estima que necessita sim da nossa referência para que possam agir de maneira saudável e compatível com o que dele queremos.
     Os cães são animais sensíveis e percebem até com certa facilidade quando perdemos controle sobre eles que então passam a agir por instinto. É simples questão de causa e efeito.
Belo Horizonte, 21 março 2014
TURMA DO PARQUE
     Lobo-Guará ainda vive lá, mesmo sob ameaça de extinção. É preciso sensibilidade e zelo para que o bicho não desapareça.
     Mateiro e catingueiro também vivem lá. Tem ainda lontras e saguis. Tudo no Parque Nacional da Serra do Cipó, com seus 33 mil hectares de extensão. Não é preciso fazer conta, são 330 quilômetros quadrados. Ambiente natural da paca e do coati, que também são habitantes do parque. Tudo vivendo em perfeita harmonia, mesmo contando com a ousadia do ouriço-cacheiro, senhor de um mecanismo de defesa de arrepiar espinhos. Tem tamanduá-colete pronto para um abraço mais que afetuoso, veados e gatos do mato. O parque tem ainda o maior roedor da América do Sul, que é a capivara de antes do tempo do império. E para completar essa lista espetacular de seres que estão lá no Parque Nacional da Serra do Cipó, as graciosas jaguatiricas.
     Tudo isso sem falar de outros bichos, da flora paradisíaca do lugar, das cachoeiras e paisagens de tirar o fôlego, criadas sem qualquer participação humana. Agora, quando o homem cisma de meter o bedelho, aí...
Belo Horizonte, 11 novembro 2003


4 comentários:

MARILENE DOMINGUES disse...

Olá Cadinho, bom dia! Cá estou para agradecer,retribuir e conhecer seu belo espaço. Gostei de estar aqui, encontrei muita informação.Parabéns pelo belo trabalho.Só não consegui me tornar sua seguidora o Sr. Google me impediu, volto mais tarde para tentar novamente.
Abraços com carinho e tenha um lindo final de semana.
Marilene

Laura Santos disse...

Xamã está no caminho certo.
Há cães que como certas pessoas ladram por tudo e por nada; não são para ser levados a sério...:-)
A educação faz milagres!
E que belo esse Parque Natural do Cipó, com tanta fauna, flora , e todas essas paisagens paradisíacas.
xx

Emília Pinto disse...

" Quando o homem cisma em meter o bedelho " dá cabo de tudo, ao contrário dos animais ditos irracionais. Aqui temos a serra do Gerês, parque protegido onde o lobo quase desapareceu e onde todos os anos, pela mão do irracional homem há incêndios no Verão. Por causa disso, há lá determinados lugares onde para se entrar tem de se pagar´. É aborrecido termos de pagar para entrar numa serra, mas foi o jeito de diminuirem as atrocidades do homem. Mesmo assim todos os anos há lá fogos. Um bom fim de semana e obrigada pelas belas informações. Não esqueças das minhas lembranças ao Xamã. Beijo.
Emília

Luma Rosa disse...

Oi, Cadinho!
Haveria de ter mais respeito entre as espécie, cada qual respeitando o seu quadrado! Mas existe a luta pela sobrevivência e nessa o homem sai perdendo!
Beijus,