Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

sábado, 1 de março de 2014

DENTES AFIADOS

SÉRIE XAMÃ dos Folhetos Cadinho RoCo
DENTES AFIADOS
     Em meio ao desafio imposto pela escassez eis que empenho resistência proposta não pela vida, mas pela fé. E nesse contexto não há chance de recuo e nem tão pouco de questionamentos vazios.
     Xamã morde a pedra que passou a ser sua companheira, na intenção de afiar os dentes que substituem os de leite. É gesto determinado de quem está disposto a desafiar a adversidade porque essa é sua natureza.
     Aprendo com Xamã a afiar as garras da fé entranhada em mim, na certeza de que não sou homem limitado a dias sombrios.
Belo Horizonte, 01 março 2014
INDO FUNDO
     Entre a ânsia e a necessidade, propósito do entendimento. Em meio à devoção, formas que insistem em perceber o que não conseguimos perceber. Há uma distância entre o que estampa e o que esconde o fato. A realidade, em meio a tantos esconderijos passa a ficar também escondida do que nela encerra tanta coisa.
     Entre o afastamento e a aproximação, estranheza de um espaço indecifrável. São soluções mergulhadas em questionamentos outros, entregues a desconhecida profundidade. Que mar é este meu Deus?

Belo Horizonte, 02 setembro 2003

5 comentários:

Célia Rangel disse...

Um belo exemplo o de Xamã... afiar nossas garras para sermos alguém na vida!
Abraço.

Marisa Giglio disse...

Cadinho , gostei muito do texto em especial quando nos conta que aprendeu a afiar sua fé com Xamã . Parabéns . Bom final de semana . Beijos

Crista disse...

Não tem como não te admirar!
Beijão...

Crista disse...

Não tem como não te admirar!
Beijão...

Luconi Marcia Maria disse...

Um texto cercado de analogias, de formas figuradas, afiar os dentes, afiar nossas garras, não sei, eu não acho que tenha que me armar desta forma para a vida, seja qual for a questão ou a parte dela que esteja vivenciando,faço sempre o possível para ter a fé como minha armadura e o amor como minha espada, lógico que na minha imperfeição nem sempre consigo, derrapo e muito, mas tenho comigo uma coisa firme "Para quem confia, o amanhã é uma certeza, eu confio, principalmente acho que doutrinas religiosas não salvam ninguém, agora a exemplificação do amor sim, nos faz aprender muito, abraços Luconi