Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

sábado, 28 de junho de 2014

REPÚDIO

SÉRIE XAMÃ
FOLHETOS CADINHO ROCO
REPÚDIO
     Tá vendo só como as coisas acontecem Xamã?
     Nós, tidos como da elite branca brasileira, não devemos ficar indiferentes ao que acontece com o nosso Brasil. Exigimos liberdade para expressar nosso sentimento e repudiamos frontalmente qualquer propósito de controle de informação dos meios de comunicação. Numa mesma direção exuberamos nossa representação política pelo voto democrático em preservação aos poderes constituídos sem aceitar os ditos “conselhos sociais” indicados, nomeados e só reconhecidos pelo governo.
     Não queremos no Brasil o modelo socialista soviético, bolivariano, venezuelano, cubano ou do século vinte um.
     Exigimos transparência dos governantes ao invés de investidas em direção a um golpe institucional.
Belo Horizonte, 28 junho 2014
INÍCIO DO INFINITO
    Tudo depende antes do querer. Não adianta criar empecilho, não adianta abrir o discurso dos infindáveis argumentos, não adianta ponderar e nem querer estancar o sangue da vontade. O querer vai além, cria possibilidades, encontra caminho e sabe viabilizar com mestria seu propósito.
    Querer é poder? É sim. Querer é poder e um dos elementos mais expressivos da vida. Querer é acreditar e sentir que na crença conseguimos ir longe e muito mais longe ainda. Querer é dar força estímulo aos sentidos, para que eles consigam o ritmo vigor necessário para o que irá fazer. Querer é permitir  que a vida vasculhe, ouse, pise firme no solo desconhecido, mergulhe com todo fôlego no oceano de suas aventuras descobertas, que saia do marasmo que acomoda e que induz o ser à falsa sensação de segurança estabilidade.
     Mas o querer depende de cada um de nós para estar no existir de cada um de nós. O querer precisa ser libertado para libertar-nos daqueles aprisionamentos mesquinhos e que, por incrível que pareça, no mais das vezes são cultivados por nós mesmos, ou seja, dependentes diretos de nosso agir decisão. Mas é fundamental que saibamos e percebamos o quanto é bom querer e querer bem o nosso querer.
     O querer é o início do nosso infinito.
Belo Horizonte, 26 outubro 2004

Um comentário:

Maria Rosa Sonhos disse...

Sem boa vontade, nada se pode fazer. Abraço!