Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

É TUDO ASSIM



SÉRIE XAMÃ dos
FOLHETOS CADINHO ROCO
É TUDO ASSIM
     Existem dias calmos, como existem dias nervosos. Dias em estado de confiança, dias desconfiados. Dias bons, dias ruins. E tudo isso pode ser refletido pela arte, comenta Xamã.
     É verdade. A arte passa pelo sentimento da gente e por isso mesmo consegue refletir o que sentimos. Nas palavras podemos sentir movimentos soltos ou atados por alguma apreensão. Nas pinturas a sensação de traços mais ou menos tensos. É tudo assim.
     Fazemos o mundo que vivemos nele.
 Belo Horizonte, 18 agosto 2014
MISTÉRIO DAS COISAS
     Tem gente que mesmo depois de morta, continua vivendo na vida da gente. Por isso também é que creio em nossa plena possibilidade de ressuscitar os mortos em nossas vidas. Pensando ainda melhor, chego a acreditar que as pessoas só morrem completamente de nossas vidas, quando deixamos de dar vida a elas.
     Vida e morte. Duas situações tão distintas, distantes e próximas. Dois mistérios a ocuparem todo nosso ser existir neste ou em qualquer outro mundo. E não adianta pensar muito, porque quanto mais pensamos, maior vai ficando o mistério de todas as coisas em nosso viver.
Belo Horizonte, 20 março 2005

6 comentários:

Vanuza Pantaleão disse...

É verdade, meu Mestre das Cores, quanto mais pensamos nos mistérios da morte-vida, mas nos complicados. Por isso, tomei uma atitude radical, não vou mais pensar![risos]
Ficou lindo mesmo o teu painel por lá e no blog literário também, já o viste por lá? Enfim, és um criador, tens esse "dom" extraordinário de transmutar a realidade, um alquimista que és na verdade.
Cadinho uma doce e criativa semana pra você! Beijos, meu amigo do coração!!!

Vanuza Pantaleão disse...

Ops!"...mais nos complicamos...desculpe aí a nossa falha!Rsrs

Bell disse...

O artista expressa aquilo que ele vive.

Um lindo dia pra vc =)

Dorli disse...

Oi Cadinho
Acho lindo quem sabe pintar.
Não quero ninguém morto permeando meu pensamento.
Beijos
Lua Singular

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde,
A arte tem que ser apreciada nos dias bons, a mesma trás-nos ao pensamento a interpretação que os traços e a cor nos dá, mais que não queiramos, a morte está permanentemente no nosso livre pensamento.
AG
http://momentosagomes-ag.blogspot.pt/

Carla Ceres disse...

Oi, Cadinho! Acho que podemos "matar" os inimigos se conseguirmos deixar de lhes dar importância. Claro que é difícil, mas é uma forma de deixar de "dar vida" a eles. Abraço!