Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

PRA PENSAR



SÉRIE XAMÃ dos
FOLHETOS CADINHO ROCO
PRA PENSAR

Penso na vida
Penso no sonho
Tanta ida
Cansaço tristonho.
Conversa seguida
Enquanto suponho
Dificuldade vencida
Verso que componho.
Busca do amanhã promissor
Xamã fareja o agora
Faz muito calor.
Tempo desprovido de hora
Fogo na luz do amor
Homem que é homem não chora?

Belo Horizonte, 13 janeiro 2015
ANTES
     Por vezes, que não são poucas vezes, ao propagarmos o amor somos recompensados com o afastamento, com a indiferença ou até mesmo com a repulsa. E se por isso passarmos também a desprezar o amor, eis que estaremos entregando nosso ser ao afastamento, à indiferença e ao repúdio.
     Melhor que reagir pelo puro e simples reflexo é perceber o que de fato queremos, antes, de nós mesmos.
Belo Horizonte, 21 junho 2006

5 comentários:

ॐ Shirley ॐ disse...

Não é fácil lidar com esse complicado sentimento, o amor...
Cadinho, um beijo pra você e um afago pro Xamã.
Muita paz!!!

Suzete Brainer disse...

O amor ´promove a profundidade
da vida,esse amor maior que nos
conecta com todos,uma comunhão...

Um 2015 luminoso!

Grata pela sua visita,Cadinho.

Abraço.

Laura Santos disse...

Homem que é homem, chora. E deve sempre buscar sempre o amor,antes de mais como valor em si mesmo. Deve farejá-lo como Xamã fareja esse ar quente do Verão brasileiro.
xx

Carla Ceres disse...

O Xamã entrou no poema. Que legal, Cadinho! Abraço!

Fê blue bird disse...

Conhecer-mo-nos a nós mesmo é já parte do caminho do amor.

Por vezes chorar valoriza o homem.

beijinho com carinho