Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

terça-feira, 25 de agosto de 2009

TEMPESTUOSO

No por aí da vida os encontros são muitos

TEMPESTUOSO

Fazia tempo que eu não encontrava com o Marcelo e o Corujinha, noite gelada na conversa solta sobre o que acontece no vagar dos dias nossos.

Nada que mereça maior atenção, tempo que passa por nossas vidas em idas e vindas pela Avenida Prudente de Moraes.

Na madrugada vem chuva forte molhar sonhos denunciados pela delícia que há na vida quando então despertados somos pelo amor da mulher que acolhe e retribui carinhos brotados de um querer tempestuoso.

Belo Horizonte, 25 agosto 2009

FOGARÉU

A intenção era só a de uma labareda bem pronunciada mas nem tão grande assim. Só que fogo alastrou. Dela, a labareda, foram surgindo outras minúsculas inofensivas que cresceram ganharam formas e trataram de criar outras. Quando sentido acordou, fogo estava enorme.

Não vai aqui nenhum relato de incêndio, calma tenha paciência. O ocorrido sucedeu numa mistura de tintas desenho pintura que cresceu. Ficou bonito até. Mas dele veio conclusão interessante.

Em alguns momentos da vida, gesto labareda pode é acabar acendendo muitos outros.

Belo Horizonte, 05 maio 2007

14 comentários:

Andresa disse...

O que encontro aqui? Textos maravilhosos e ricos em conteudo.
Um grande escritor.

Fiquei muito horada com sua visita em meu blog.

Um grande abraço

Sua nova amiga Andresa Araujo

A Madrasta Má disse...

Com certeza Cadinho querido, seja para o bem ou para mal gestos labaredas tendem a acender o fogaréu.... to gostando da chuvinha e vc? Bjinhos da Madrasta!

Anjo azul disse...

Olá amigo Candinho,
Venho agradecer a sua visita. E deixe dizer que adorei este seu cantinho. Que a vida nunca deixe de lhe sorrir com as mais desejadas felicidades.
Abraço
Anjo azul

CátiaSofia disse...

É sempre muito relembrar tudo de bom que se passou no passado.


Beijo!

Magui disse...

Ainda mais qd os hormônios alimentam...

Thaís Gomes disse...

Olá Cadinho!

Vim até aqui retribuir sua visita e como vc mesmo escreveu "No por aí da vida os encontros são muitos". Encontrei um espaço encantador e tão mineiro quanto o que vc comentou no meu blog!

E esse boxer? Tenhu um...chamado Rhodes!

Abraço

angela disse...

Bonitos os dois escritos, nem sei dizer qual gostei mais. Que vai que não preciso escolher, posso gostar dos dois.
vou segui-lo
beijo

Thamara Morgan Burns disse...

é estranho reencontrar velhos amigos, porque acabo me sentindo velha '^^
é sempre bom espiar o passado, dar uma fugida dessa realidade de hoje, que me sufoca, particularmente.

volto sempre \o

xistosa - (josé torres) disse...

E a labareda (impetuosidade) força-nos a viver e a tentar avivar os lampejos (cintilações) que nos rodeiam.
São as pinturas do dia-a-dia, umas brilhantes, outras mais baças, mas feitas pelas nossas próprias mãos.
O valor é intrínseco.

luluonthesky disse...

Ai Cadinho não aguento mais chuva.. :(

Big Beijos

Ana Maria disse...

Nessa madrugada choveu tanto aqui, que acredito ter molhado meus sonhos.
Adorei a foto do Jota.
Como vc está?
E o Jota, passeia muito com ele?

Beijinhoooosss!

o¤° SORRISO °¤o disse...

Oi RoCo.

Exatamente numa noite gelada que as labaredas têm que mostrar todo o seu ardor.
E que chuvinha gostosa, né? Hummm!!! :-)

*********





UMA ÓTIMA SEMANA PARA VOCÊ!!!




“Os ventos que às vezes tiram
algo que amamos, são os
mesmos que trazem algo que
aprendemos a amar...
Por isso não devemos chorar
pelo que nos foi tirado e sim,
aprender a amar o que nos foi
dado. Pois tudo aquilo que é
realmente nosso, nunca se vai
para sempre...”
Bob Marley





♥.·:*¨¨*:·.♥ Beijos mil! :-) ♥.·:*¨¨*:·.♥


http://brincandocomarte.blogspot.com/

___________________________________

Janaina disse...

Aqui no Rio tá uma chuvinha boa...pra namorar.Sobre fogaréu tem que abrir o olho pois sempre há alguém à espreita para encontrara uma boa oportunidade me transformar uma brasa que quase se apaga num incêndio incontrolável.Um abarço.

Cristina e Márcia disse...

Incêndios da alma propagam o fogo na imaginação...
Beijos, Marcia