Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

segunda-feira, 22 de outubro de 2018

PRA PASSAR


PRA PASSAR
Roupa pra passar
Ferro quente
Cuidado para não queimar
Amassado transparente.
Vida para cuidar
Do passado presente
É preciso caprichar
Camisa indolente.
Armário arrumado
Dia indo embora
É preciso cuidado.
Triste quem chora
Pelo leite derramado
Meu mundo é agora.

Belo Horizonte, 22 outubro 2018
Transformação
     Encheu-se de obrigação e agora corre de lado a outro pela trilha do cumprimento daquilo que antes foi assumido. O tempo faz-se veloz curto ameaçador. E os dias que antes só passavam, agora surgem sob a forma de constante ameaça.
     Vida parece entregue ao ir e vir de cada necessidade a gerar outra numa constância crescente e implacável. Vem o cansaço e a sensação de não conseguir o pretendido.
     Mas há sempre um caminho uma saída, jeito a contornar situação hoje que amanhã exigirá mais. Só que as alternativas diminuem diante da realidade implacável.
     Um dia, a decisão. Bem diante do próprio estar a vida depara com a força do acreditar que já não aceita aquilo que impõe tamanho sacrifício. O querer aflora e de sua exuberância o suceder da transformação.
    Para o viver, o acreditar disponibiliza ao ser o que ele de fato quer.
Belo Horizonte, 10 janeiro 2008

domingo, 21 de outubro de 2018

ERRANTE


ERRANTE
Casa vazia
Rubra melancia
Saudade macia
Lágrima fria.
Olhar distante
Do mar o mirante
Vida errante
Coração palpitante.
Silencio no ar
Hora de acabar
Com este vagar.
Vem outro momento
Outro movimento
Que não comento.

Belo Horizonte, 21 outubro 2018
SERÁ RESSACA?
     Fazia tempo que eu não recebia telefonema tão infeliz. Por força do respeito, que não recebi, nem por isso identificarei, em respeito, nome de quem realizou tal façanha. Só faltou chamar-me de santo. Pessoa próxima, muito próxima e que em cólera incontida disse o que queria e suponho que o que não queria também.
     Pode ser que em face das datas festivas, tenha acordado com ressaca brava indomável. Ou então amanheceu possuído por aquele estímulo típico de início de ano, agora é pra valer e seja lá o que Deus quiser. Fato é que lá no fim, depois de deixar-me completamente embaraçado, desculpou-se. Ato próprio, muito próprio de quem está perdido da sua própria razão.
Belo Horizonte, 03 janeiro 2008

sábado, 20 de outubro de 2018

CARINHOSA



CARINHOSA
Manga madura
Aventura
Verde verdura
Criatura.
No vento da chuva
O mistério da curva
Secura na saliva
Quem ama cativa.
Leite na tarde
Momento que arde
Nuvem covarde.
Doçura cremosa
Sensação manhosa
Mão carinhosa.

Belo Horizonte, 20 outubro 2018
TEMPO QUE PASSA
     É muita conversa, é muito assunto, é muita troca de idéia, é muita opinião, é muita confusão.
     Passa dia, mês, ano indo embora para que outro novo apareça pra continuar porque a vida sem continuar não vive. Se não deu pra entender, deu pra mostrar que a necessidade de entender é de constância eterna.
     E tome água porque sede também é aquilo que aparece sempre, porque vida sem sede é vida seca sem graça.
     Quer saber mais? Pois trate de perguntar, porque mundo de cada um também não vive sem respostas. O que também não quer dizer que há de se encontrar respostas pra tudo.
Belo Horizonte, 29 Dezembro 2007

sexta-feira, 19 de outubro de 2018

PRECISO IR



PRECISO IR
Acordo com o amanhecer
Do dia que vem me conhecer
Com enorme vontade de saber
O que tenho para fazer.
Toco sino do meu despertar
Não sem antes bocejar
Confusão que vem habitar
Toda extensão do meu pensar.
Assim é que invento
De achar aquele documento
Resgatado a contento.
Ao invés de rir
Dou ouvidos ao meu intuir
Agora preciso ir.

Belo Horizonte, 19 outubro 2018
IMPRESSÃO NEGATIVA
     No mais das vezes a intromissão é atitude infeliz desagradável.
     Agora sim é que sinto-me atrapalhado em dois dos quatro endereços eletrônicos que utilizo. Tanto no Hot Mail quanto no Yahoo, ao deparar com uma propaganda do Mercado Livre pronto, transmissão é interrompida e não consigo nem ler, nem escrever mensagens.
     Fico intrigado com a falta de cuidado desta empresa Mercado Livre que termina por ocasionar enorme antipatia que aqui propago. Isto porque parte para recurso que termina por atrapalhar incomodar. Se acontece comigo é natural que haja o reconhecimento disso por parte de técnicos envolvidos neste trabalho. Só que, a despeito disso, nenhuma solução.
     Se é assim, registro protesto em particular ao tal Mercado Livre, mestre em propagandas que vez por outra invadem telas dos computadores num procedimento chato, arrogante e prepotente.
Belo Horizonte, 26 Dezembro 2007    

quinta-feira, 18 de outubro de 2018

ABÓBORA


ABÓBORA
Não tenho saudade da aflição
Tenho sangue no coração
Amor na compreensão
Fé ida além razão.
Não busco conclusão
Talvez eu seja só ficção
Vivendo cada lição
Inspirada em oração.
Pode ser que eu vá embora
Pode ser que eu permaneça fora
Do depois e do agora.
Lugar sem hora
Mudez sonora
Virei abóbora.

Belo Horizonte, 18 outubro 2018
PERNAS DISPERSAS
     Bem no meio da noite, quando então todo silencio é escuro, penso no momento de cada dia.
     Bem no meio do sono esbarro em idéias pernas que nunca vi, num caminhar que desconheço.
     No dia de cada assunto imagino conversas em sonhos que já não habitam em mim. E aquelas pernas roliças e tão femininas transitam no sono que foge de mim. Idéias a provocarem minha atenção dispersa. Penso no que já não pensava, vou para onde nunca fui. Tudo num sono confuso na sombra de um silencio seduzido por estas pernas deitadas em mim.
     Agora sim é que o sono desaparece do silencio, ao assumir a escuridão da noite, enquanto que possuído por essas pernas, percebo enorme clarão que busco lá de dentro desse assunto sem dia, por pertencer ao delírio dessa noite sem fim.
     Para acordar preciso dormir.
Belo Horizonte, 17 Dezembro 2007

quarta-feira, 17 de outubro de 2018

CHOCALHO


CHOCALHO
Diante do que não confio
Desconfio
Chocalho de cascavel
É por demais cruel.
O depois é frio
Arrepio
O fraudável
Não é confiável.
O perigo avisa
Mas não alisa
Nem brinca com a brisa.
Cortar o mal pela raiz
Faz do aprendiz
Alguém mais feliz.

Belo Horizonte, 17 outubro 2018
ESTE OUTRO
     Qualquer perda, para qualquer um de nós, representa sugere tristeza angustia. Mas existem perdas que acontecem para o nosso bem alegria alívio.
     Das perdas que coleciono busco obter a liberdade de tudo quanto posso.
     Por sermos todos dependentes, não há quem seja plenamente livre. Se é assim, todo e qualquer ato de arrogância é antes descuido, engano.
     Não faço da dor que sinto, mote para o lamento.
     Faço da dor que sinto, elemento para minha resistência.
     Se não sou mais aquele, sou este outro hoje.
Belo Horizonte, 11 Dezembro 2007

terça-feira, 16 de outubro de 2018

CAMINHONETE


CAMINHONETE
Sou recitado pelo soneto
Sou levado pelo folheto
Sou brasa no graveto
Sou formação que ao ar remeto.
Sou sei lá quem
Mistura de alguém
Com ninguém
Ida que não vem.
Calculo possibilidades
Dispenso amenidades
Engulo manhãs e tardes.
Comprei uma caminhonete
Não acredito repete:
Sonhei que comprei uma caminhonete.

Belo Horizonte, 16 outubro 2018
DAQUI NENHUM
     Tenho um dia domingo quieto e que repousa em mim o que próximo coloca-se de maneira tão distante.
     Do que tenho a dizer, nada que mereça sair do silencio. Quieto e à sombra de todos os acontecimentos, estampo ausência. É possível que eu sequer esteja aqui.
Belo Horizonte, 09 Dezembro 2007