Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

quarta-feira, 26 de junho de 2019

FRAMBOESA

FRAMBOESA
A poesia aparece
E desaparece
Quem sabe conhece
Quem não sabe desconhece.
Cerveja na mesa
Língua presa
Vela acesa
Framboesa.
Pele morena
Conversa amena
Não conheço Viena.
Hora de pensar
Descansar
Sonhar.

Belo Horizonte, 26 junho 2019
NASCEU GUSTAVO
Bravo Gustavo
Gustavo bravo
Primeiro janeiro
Janeiro primeiro.
Gustavo Cordeiro
Cordeiro Gustavo
Gravo jeito faceiro
Jeito faceiro gravo.
Gustavo chegou
Com dois mil e doze
Gustavo brincou
Com dois mil e onze
Nascimento segurou
Pras vinte duas e quatorze.

Belo Horizonte, 04 janeiro 2012

terça-feira, 25 de junho de 2019

ALEGRIA

ALEGRIA
Chegou ração
Para o cão
Que late com razão
Tamanha sua animação.
Celebrar o apetite
É oferecer convite
Para que a vida agite,
Brinque, dance, grite.
Xamã sugere alegria
Cão com olhar que contagia
Fidelidade que nunca esfria.
Jantar servido
Saboreado engolido
Cão vigia tudo escondido.

Belo Horizonte, 25 junho 2019
NA CRENÇA
Verão na praia e eu aqui na espera esperança de acontecimentos que possam dar a mim alento novo novíssimo, belo belíssimo.
Mergulho em sonhos salgados pela expectativa das ondas que trazem movimento a puxar meu corpo pra dentro do mar dessa realidade que é a que convivo com ela. Penso e acredito na possibilidade de mudar a vida, mudar o mundo. Acredito na possibilidade de nova possibilidade. Problema é que tem hora que, sinceramente, fica difícil dar alento para o acreditar.
Belo Horizonte, 02 janeiro 2011

segunda-feira, 24 de junho de 2019

INSANAS

INSANAS
Ouço voo de ave
Sensação suave
Vida sem entrave
No chaveiro a chave.
Tubarão no mar
Aquarela no ar
Voo a navegar
Jeito é pintar.
Poesia na imagem
Bichos reagem
Água na nuvem.
Asas barbatanas
Abacaxis bananas
Aquarelas insanas.

Belo Horizonte, 24 junho 2019
PRESENTE DO PRESENTE
Muita conversa voltada para o que aconteceu. Muito sonho voltado para o que poderá acontecer. Muita expectativa na lembrança que salta para o presente querendo esbarrar no futuro.
Não sou muito amigo de planos e projeções. Tenho natureza ansiosa e por isso não me sinto bem fora do presente. O que não quer dizer que eu não sonhe. Sonho e sonho até demais é o que penso em muitos dos meus momentos. Quando então sinto no presente a ânsia do querer, eis que impelido sou a sonhar e sonhar mais.
Hoje não quero nem passado nem futuro. Quero estar no presente do meu presente. Vontade de dar a este presente momento pleno de realização. Preciso estar num presente mais presente em mim mesmo.
Belo Horizonte, 29 dezembro 2011

domingo, 23 de junho de 2019

NO LUGAR


NO LUGAR
Acordo sem saber
Como será hoje meu viver
Lembrar esquecer
Olho para o dia querendo ver
O que não sei precisar
Respiro frescura do ar
Começo a me arrumar
Café achado em seu lugar.
Tudo certo
Caminhada por perto
Eu e Xamã esperto.
Manhã agradável
Lembrança afável
Disposição louvável.

Belo Horizonte, 23 junho 2019
DISSABOR
Esta conversa de que vai telefonar pra gente acertar qualquer coisa é tão antiga quanto andar a pé, Já dizia o outro. O chato é que numa dessa cria-se expectativa, altera-se planos para nada.
Hoje penso que nada é por acaso tudo tem lá sua razão de ser. Não fui a Grussaí depois de ser induzido a abortar pelo menos 3 intenções de ida. Agora não sei quando irei para a beira do mar, o que deixa em mim humor entregue a mais que evidente dissabor.
Belo Horizonte, 22 dezembro 2011

sábado, 22 de junho de 2019

CABAÇA

CABAÇA
Quando não é a hora
Outro é o agora
Sem pressa, sem demora
Sem estar dentro ou fora.
No tempo não há pirraça
Ele é do caçador e da caça
Da água e da cachaça.
Não adianta xingar
Não adianta gritar
Não adianta espernear.
Na vida
Instante para cada ida
Alegre ou sofrida.

Belo Horizonte, 22 junho 2019
RAZÃO DIVERSA
Quando alimentamos em nós mesmos o espírito do repúdio, abrimos natural resistência à aceitação. Quando deixamos de aceitar travamos acessos que antes poderiam nos permitir a caminhos espetaculares.
Brincar é bom, mas há quem não goste de brincar por preferir a sisudez da vida para tudo e toda ocasião. Há quem goste de alimentar o rancor execrando o amor sistematicamente. Há quem abomine o amor por razão diversa.
Belo Horizonte, 20 dezembro 2011

sexta-feira, 21 de junho de 2019

RENOVAÇÃO

RENOVAÇÃO
Pão com salame
Cerca de arame
Abelha no enxame
Vontade de comer inhame.
Na noite bicho escuro
Na parede um furo
Na pedra um muro
Ouro puro.
Ontem foi dia
Hoje é dia
Amanhã será dia.
Toda repetição
É ilusão
Tudo é renovação.

Belo Horizonte, 21 junho 2019
DESTREZA
Gosto de gente que decide e que não fica adiando o que está por ser feito. E sinto ser esta a postura da Joana, dentista que tem tudo pra ser exímia periodontista. Digo isso porque sinto percebo sua sensibilidade e destreza com instrumentos que usa para limpar, cortar, ajustar, moldar e suturar suas intervenções tão importantes quanto oportunas para o bem dos nossos dentes, amém.
Belo Horizonte, 11 dezembro 2011

quinta-feira, 20 de junho de 2019

AMARELA

AMARELA
Matraca
Catraca
Jararaca
Maritaca.
Do interior
Perfume sem cor
Paisagem de amor
Aberto em flor.
Goiabada
Marmelada
Bananada.
Aquarela
Vento na vela
Amarela.

Belo Horizonte, 20 junho 2019
PERDI CARTEIRA
     Pra facilitar o troco do motorista de taxi busquei moedas distraí. Saí do carro sem perceber que nele deixei minha carteira com todos os meus documentos.
     Sensação de vazio, eu sem saber como encontrar taxi e motorista, sem ter pra onde ir, o que fazer. Total sensação de impotência diante de algo que não pode ficar maior que meu próprio ser.
     Volto pra casa. Penso, escureço tudo, medito, vasculho, percebo. Perdi a carteira para me encontrar. Será isso?
Belo Horizonte, 05 dezembro 2011