Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

PRECISO

Desculpe a franqueza mas, passo a jogar duro com a conversa mole

PRECISO

Recebo a confirmação da remessa dos Folhetos Cadinho RoCo para Recife, Pernambuco. O interessante, curioso e para mim triste é constatar que os folhetos precisam ir a Porto Alegre, Rio Grande do Sul, para de lá seguirem para Pernambuco. Triste porque não consigo sensibilizar o empresariado do meu Estado de Minas Gerais para o patrocínio dos folhetos.

Dia desses recebi mensagem de publicitária radicada em Belo Horizonte, pelo que suponho nova na carreira, que já concorda e diz estarmos numa cidade com mentalidade provinciana no que refere-se à comunicação.

É triste demais viver numa cidade que não valoriza o que fazem seus próprios filhos. Só que não posso parar por causa disso de jeito nenhum. Tenho necessidade física de fazer dinheiro, dar trato à minha saúde e por isso não posso brincar com o que faço. Preciso de reconhecimento, patrocínio, dinheiro.

Belo Horizonte, 01 outubro 2009

ESTE OUTRO

Qualquer perda, para qualquer um de nós, representa sugere tristeza angustia. Mas existem perdas que acontecem para o nosso bem alegria alívio.

Das perdas que coleciono busco obter a liberdade de tudo quanto posso.

Por sermos todos dependentes, não há quem seja plenamente livre. Se é assim, todo e qualquer ato de arrogância é antes descuido, engano.

Não faço da dor que sinto, mote para o lamento.

Faço da dor que sinto, elemento para minha resistência.

Se não sou mais aquele, sou este outro hoje.

Belo Horizonte, 11 Dezembro 2007

12 comentários:

Jeannie D. disse...

Podia ser pior, vc podia morar no MS, no entanto, acredito que a área da saúde aqui é bem melhor organizada, mas culturalmente, deixa muito a desejar...
Boa Sorte!
B-jim.

Vanna disse...

Olá, bom dia.
Triste mesmo não ter valorizado o q fazemos, sentimos ou somos.
É mesmo necessário usar as pedras do caminho e construir castelos.
Abraços, bom fim d semana.

SILVANA PEDRINI disse...

Oi Cadinho, bem diz o ditado: "O bom filho à casa torna!" E eu estou aqui mais uma vez, lendo suas expressantes
palavras. Acho que nenhum filho é valorizado em sua casa. Aqui em minha cidade é assim. Alguns "vultos" de ações para aqueles que fazem arte, mas nada que possa prover nosso sustento através dela. E assim caminhamos. Uma hora quem sabe vai ser diferente.
Desejo toda sorte nos folhetos.
Abraços

Daniel Savio disse...

Mas infelizmente, há um descaso do governo para a cultura, contudo, esperar o que se este pessoal ganha com um povo sem cultura...

Fique com Deus, menino Cadinho.
Um abraço.

Vivian disse...

...desafios...desafios...desafios,
desafios...
este sempre será o caminho de
quem não tem medo da vida,
seja ela em qqr tempo, qqr hora.

e você, sei que é possuir desta
força para enfrentá-los seja
lá ou cá...onde sua arte
alcançar...
se não alcança olhares em seu
próprio habitat, é sinal que
os habitantes deste teu canto,
ainda não alcançaram sensibilidade
para tanto.

é a vida fluindo a seu tempo.

adoro você, moço pensador!

beijosssssssssss

RECOMENZAR disse...

gracias por pasar estar y ser
besos

Natália disse...

No começo demoramos para nos adaptar com as perdas, mas depois percebemos as lições e ficamos bem. beijos

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

A vida é transformção e cada um se transforma a seu modo!!

Tem razão em se queixar!Sei que é ultrapassado mas lembrei o ditado "Santo de casa....".

Beijos!

Sonia Regina.

paula barros disse...

Felizes os que sabem fazer das perdas e dores um degrau para evoluir na vida.

beijo

bia martins disse...

gostei de passar por aqui...
voltarei!!!

um bjo.

Bandys disse...

Cadinho,

Estarei rezando para que tudo de certo para você amigo.
Esse país não valoriza seus artistas infelizmente.

Beijo no ♥ e uma fds de muita fé.

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

E assim a luta pelo reconhecimento sempre é constante.



Rebeca


-