Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

sábado, 24 de outubro de 2009

VIAGENS E TELEFONEMAS

Numa viagem tudo pode acontecer

VIAGENS E TELEFONEMAS

Mal saiu da estação rodoviária de Belo Horizonte para Grussaí no ônibus ouviu-se ruído chamado para telefone celular.

- Alô! OI amor já saímos depois ligo dando notícias.

Não era eu, homem sentado a algumas poltronas atrás.

- Tudo bem amor, beijo

Ainda na cidade, novo chamado.

- Foi muito bom estar aí, tem surpresa pra você. Lá no armário onde estão aquelas camisas dobradas. No fundo, no cantinho um embrulho. Achou? Quis fazer isso pra dizer que também te amo, um beijo.

Na estrada tudo escuro telefone toca ela atende.

- Que bom pensei em você agora. Pois é, estou aqui sozinha, ninguém ao meu lado e você aí.

Ela ri e completa.

- Quando eu chegar envio mensagem. Mas quero notícia sua todo dia. Te amo, um beijo.

Cinco horas da manhã, celular toca, moço não sabe onde ele está. Abre sacola, remexe na pasta, pacote, casaco e nada do celular que de tempo em tempo toca, intenção de despertar o seu infeliz proprietário.

Grussaí, 24 outubro 2009

OUTRA PESSOA

A questão, o problema ou seja o que queiram dizer pensar, não está exatamente no desalento e sim naquilo que promove o desalento. É na e da atitude que então colhemos o que alimentará o sentimento. Mas o simples e conveniente é saltar da atitude para a consequência, porque assim é que toda carga cairá sobre o ombro do outro. Não sou assim. Mas também nem sei o quanto é importante ser o que sou.

Nem toda explosão emana realidade do seu ruído. Existem técnicas pra lá de eficientes, capazes de emudecerem explosões inteiras. O que não quer dizer que por isso elas deixem de existir.

Sou homem distante do meu lugar e por isso mesmo é que coloco-me perto do sonho. Sinto-me à beira do mar que entardece comigo levado ao caminhar escurecido por outro tempo.

Sou o tempo outro deste tempo que aqui julga conferir minha presença.

Belo Horizonte, 09 maio 2008

8 comentários:

paula barros disse...

Ou seja e você não dormiu rsrsrs Mas o escritor é assim, transforma logo em história.


O gostar nos faz lembrar, querer está junto, nem que seja num oi, numa mensagem.

E tudo bem? aproveita muito e vai contando as novidades.


abraços, bom sábado!

Luma Rosa disse...

Cadinho, imagina você homem distante do seu lugar, ter que ligar de 5 em 5 minutos para a amada pra dizer onde está? Eu não suportaria isso, muito controle!! Bom fim de semana! Beijus,

Anônimo disse...

A viagem já começou interessante. o celular foi uma bela invenção, encurta distâncias.
Beijos Cadinho e aproveita bem a viagem.
Cleo

Tony Madureira disse...

Olá,

Como estão as coisas por aqui?
AQndas bem?

Abraço

Canto da Boca disse...

Às vezes é isso que torna a viagem menos tediosa e enfadonha; às vezes é isso que torna a viagem insuportável; às vezes é a própria viagem. Mas a diferença está em quê e em como transformamos esses momentos, o teu olhar nos carregou ônibus adentro.

Quanto ao segundo texto: Cadinho, essa diversidade de seres e sentires é que torna o mundo essa deslumbrante mandala de cores, não é mesmo?

Excelente final de semana, um abração!

Elaine Barnes disse...

Ah...As paixões!Beleza de história que escreveu da viagem. Ser um homem que coloca-se perto do sonho,faz de vc um ser muito especial. Bjs e excelente final de semana

Betty blue disse...

Pois é, sentir saudade é saber que se viveu coisas boas...Já disse alguém: Saudade: doce poema que ninguém entendeu!
Vontade de ter de novo aquilo que se perdeu!

Obrigada pela visita. Volte sempre!

*** Cris *** disse...

Olá, td bem?
Faz tempo que não te visitava e hoje vim para dizer que td por aqui continua belo.
Um abraço!