Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

quarta-feira, 9 de junho de 2010

VENDO PARA VER

Tudo com preço de oferta

VENDO PARA VER

Para o bem do viver, ou vendo ou vendo painéis pinturas a óleo sobre tela. A alternativa é única e vai dela para ela mesma porque outro caminho pode até haver, mas não é o que hoje vislumbro quando para o amanhã já tenho cirurgias marcadas para correção da minha visão.

Ou vendo ou vendo painéis pinturas a óleo sobre tela é o que comento com João da Barra que aponta para necessidade da minha disposição em criar sob a égide da fé que promoverá acesso para que vendas e cirurgias aconteçam com êxito.

Belo Horizonte, 09 junho 2010

DAQUELE JARDIM

Paro para escrever. Idéias disparam sugestões. Silencio na alma que flutua por este espaço disforme e incomensurável.

Um jardim. Reconheço o jardim de infância a capturar meus sentidos. Permito ao jardim a revelação de sutil florescer. Observo cada minúcia de uma transformação que parece insistir em camuflar seus movimentos. Mas eles existem. Não fosse assim, como entender esta instigante sucessão de formas?

Cresço no jardim de infância tão singular a nutrir o espirito com este sentido a ir cultivando cada efeito da evidência.

Do jardim, aprendizado. É quando percebo adulto o sentimento reconhecido pela alma vinda daquele jardim.

Belo Horizonte, 14 dezembro 2001

12 comentários:

*lua* disse...

Ah quando da infância, estamos mais lá que cá neste mundo, por isso, a criança carrega toda a verdade que se dissolvendo, infelizmente no mundo dos imperfeitos, os adultos.

beijo querido

Misturação - Ana Karla disse...

Bom dia Cadinho!
Passei por aqui ontem, mas não consegui postar.
Adorei essa bela reflexão.
É maravilhoso quando podemos pensar e agir como a infância. Se bem sabemos, as crianças são as mais inteligentes e nós que ensinamos o inverso pra elas.
Prosperidades.
Xeros!

Lua Nova disse...

Minha vida se delineou num jardim de infância. Trago até este momento da minha vida, amizades, amores e descobertas boas e ruins daquela época. Ao pensar nisso, percebo que a vida nos molda e nós moldamos a vida. Nada mais justo.
Muito bom seu post.
Passe pra um chocolate lá no meu blog.
Beijos.

Talles azigon disse...

pois eis que a escrita é o exercício da observação

Deia disse...

Moldamo-nos tal e qual fomos em nossos jardins de infância. Penso que o outrora imenso quintal é o equivalente ao mundo que precisamos enfrentar quando nos tornamos adultos. Gostei muito desse prisma. A luz saiu bonita dele! Um beijo, ótima semana, Deia.

Ju Fuzetto disse...

Perfeito amigo!!!

parabéns pelo texto!!!

Boa quarta!!

beijo

GarçaReal disse...

Do jardim da infância brotamos...Ali tudo começa, mesmo que a linha do rumo não sela recta ( pois nunca é ) vamos seguindo e apanhando pedaços da vida

Bjgrande do Lago

Sonhadora disse...

Meu querido Cadinho
Passei para deixar um beijinho de carinho.

Sonhadora

Mônica disse...

O que que voce vende? telas para pintar?
Eu não sei nada de pintura mas gostaria de aprender uma hora destas
E SIM PERTINHO DE SANTO ANTONIO DO AMPARO. TENHO UN TANTÃO DE AMIGAS EM PERDOES

. fina flor . disse...

vendo para viver: do verbo ver; vendo para viver, do verbo vender.

como é rica a nossa língua portuguesa!

beijos, querido, continue vendo, vendendo e vivendo do silêncio das horas e das cores e no barulho do vento

besos

MM.

Insana disse...

Escrever sempre nos faz bem..

Bjs
Insana

Ana Maria disse...

Boa noite Cadinho!
Compartilho com vc o selo que fui homenageada. "Seleção dos Melhores Blogs Culturais do Brasil." Entre nos blogs: Selos, Mimos e Homenagens, ou, no Atelier da Poesia, e leve-o com vc. Pois é merecedor também.
Beijinhos de agradecimentos!