Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

terça-feira, 10 de agosto de 2010

INFRAESTRUTURA AMEAÇADA

A ânsia em sempre querer ganhar mais cria perigosos ofuscamentos

INFRAESTRUTURA AMEAÇADA

Preciso divulgar para estimular vendas de painéis que pinto, óleo sobre tela. Mas aí surge João da Barra e pondera sobre necessidade de dar a este dizer outro rumo porque a situação de São João da Barra – SJDB pede exige isso.

Enquanto não houver uma intervenção séria do município no propósito de disciplinar a vinda de tantos empreendimentos e propostas de obras, o que sugere progresso estará no pleno curso do retrocesso.

Grussaí que antes acolheu engenheiros e pessoal qualificado das empresas envolvidas na construção do porto do Açu, agora passa a receber peões de obra alojados em condições a merecerem severa fiscalização do poder público. Há evidente inchaço de pessoas não qualificadas em Grussaí, alojadas em imóveis impróprios para tais ocupações e que comprometem frontalmente a vocação turística deste que é distrito nobre de SJDB. É preciso que haja mais determinação e menos permissão por parte do poder público de SJDB que não pode, de maneira alguma, simplesmente aceitar tamanha invasão a comprometer toda infraestrutura do município.

Belo Horizonte, 10 agosto 2010

FANTASMA DA GANÂNCIA

É bem possível que a ganância seja dos piores fantasmas espalhados por aí. Ela é esperta, cínica, por demais oportunista e devastadora. Sua ação, ainda que camuflada por simpáticos gestos de desprendimento, é de impressionante precisão. Há em sua astúcia o cultivo de situações que sutilmente vão sendo invertidas por golpes rápidos de argumentos devidamente preenchidos por espécie de lamentação a ir, com toda frieza, apelando para o calor emotivo de propósito tão bem articulado. O que vai, sem qualquer pressa, dando ao fantasma sombra mais que oportuna para que sua presença não seja percebida.

A ganância produz a miséria, o desprezo e a violência. Ao ser ganancioso, a distância de quem não consegue sentir mais que simples reações físicas a fazerem do ser humano o pior dos animais, ou seja, o que rejeita sua própria natureza. Trata-se de pessoa possuída por esse fantasma, cuja decifração é puro nojo.

A ganância é um câncer terrível, capaz de destruir vidas inteiras ao transformar a consciência em tão degradante alimento de sua própria evolução.

Belo Horizonte, 01 março 2003

8 comentários:

Anônimo disse...

VIRTUAL



Cavalgo nas teclas

De chão virtual

Letras expostas

Pelo computador.

Ruídos digitais

Trotes cadenciados

Patas nos dedos

Letras rastros.

Cavalgo nas noites

Paisagem na tela

Do computador.

E na sela dos sonhos

Respira o cavalo

Todo meu fôlego.


Belo Horizonte, 14 fevereiro 2003


Cadinho, adorei demais este teu poema. lindoooooo!!!! Parabéns!
Beijos com carinho.
Cleo

Valéria Sorohan disse...

Cadinho querido,
Sempre coisas legais em seu blog. Nunca vi uma pessoa gananciosa, Acho até que isso só exista em novelas.


BeijooO*

Marilu disse...

Querido amigo, a ganância faz com que o mundo seja tão desigual...Beijocas

Desnuda disse...

Cadinho,

o seu texto já esclarece bem este mal e as devastações causadas por ele.

Beijos

america disse...

a ganância é como voce disse, um cancer, que as vezes a gente até pensa que curou... mas fica adormecido, só esperando.
precisamos estar vigilantes. sempre


mais uma vez parabens pelo blog.
vou l inka-lo

Cadu disse...

Texto incrível!
A ganância está sempre presente, e isso é uma pena. Ela vêm sempre acompanhada de injustiças e desigualdades. Ô raça egoísta, o ser humano nunca aprende!
abraço..

Manu Almeida disse...

Ontem mesmo me descobri envergonhada quando percebi que toda minha crise existencial era referente à minha faculdade meu futuro e a minha insegurança em relação a tudo isso.
Gananciosa? Eu? Mas eu sempre lutei contra o consumismo exagerado!!!

Você escreve muito bem e muito claramente cada palavra devidamente colocada onde melhor se encaixa!!!

Parabéns!

Daniel Savio disse...

Cara, infelizmente a ganância é algo que veste um "corpo vazio" para se fazer presente na vida...

Fique com Deus, menino Cadinho.
Um abraço.