Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

terça-feira, 28 de setembro de 2010

EM PAUTA

Num dia de outro dia

EM PAUTA

Neste 28 de setembro passarei pela primeira cirurgia para correção de catarata em meus olhos. Razão pela qual, para não afetar calendário do Blog Cadinho, escrevo em dia que não é o 28 de setembro. Adianto expediente e isso cria alguns leves transtornos porque não me sinto à vontade para tratar de certos assuntos com forte poder de mutação.

Estamos num momento bastante delicado no Brasil do Governo Lula que a cada dia surge com notícia mais surpreendente que a outra. Nesse sentido não tenho como tratar do que logo estará superado por acontecimento mais grave, ou mais estarrecedor.

Aproveito então para realçar a enorme necessidade minha de vender painéis, óleo sobre tela, que pinto. Este, pra mim, é o mais sério dos assuntos que tenho em pauta.

Belo Horizonte, 28 setembro 2010

OUVInDO O MAR

Ainda que distante, o mar esbarra em meus ouvidos. Ainda que distante, Taís é luz em meus olhos. Ainda que distante, penso e sinto pensamento e sentimento na praia. Mas o mundo insiste em querer confundir tudo.

A Taís será a Taís mesmo? Sua existência, trazida por outra, poderá ser de outra dimensão. Mas sua imagem traz inconfundível constatação. Mas ela escapa do cotidiano emanando presença de outro ser. E na dança das aparições vão brotando imagens outras, porém percebidas por mesmo sentido.

A existência de Taís declara mistério de uma distância que não deveria existir. A presença do mar tão longe surge contraditória. Assim o estar parece estar em outro lugar existente na inexistência de sua própria presença. Tempo de outro tempo desconhecido desse presente que apresenta-se ausente. Mas esse presente existe sugando a vida cujo sentido, ainda que distante, faz-se próximo.

Belo Horizonte, 22 fevereiro 2004

14 comentários:

Daniel Savio disse...

Uia, espero que tudo corra bem contigo...

Mas após a cirurgia, trate de repousar.

Fique com Deus, menino Cadinho.
Um abraço.

Anjo Sedutor disse...

Anjo meu!
Fique bem e se cuide!
Te visitar dá um brilho especial ao meu dia. Gostaria de vir mais vezes, mas o tempo curto não me permite.
Porém estás sempre no meu pensamento e as portas do meu céu estão sempre abertas te esperando.
Agradeço a tua compreensão!
Meu carinho,
teu ANJO...

Jota Effe Esse disse...

Também estou em ponto de espera para operar catarata. Enquanto isso vou transitanto por aí. Meu abraço.

Ju Fuzetto disse...

Se cuida amigo!!!

boa semana, beijo

Atreyu disse...

Tudo certo!!! Saúde em primeiro lugar!!! Melhoras!!!!!! =D

Mônica disse...

Cadinho
A mame fez esta cirurgia. E muito fácil, mas precisa do repouso rigoroso depois.Não agachar, não pegar peso, pingar colirio um tantão de vezes.
E os quadros? Como goastaria de poder compra-los. Ms voce mesmo disse: Não podemos cochilar nesta época.Vou torcer pra vender muuito
com carinho Monica

myra disse...

nao se preocupe, eu tambem fiz esta operaçao, e fiquei otima!
depois tem que descansar...
um grande abraço de solidariedae

Marilu disse...

Querido amigo, espero que fique bem logo. Fique com Deus. Beijocas

Ana Maria disse...

Amigo, tudo correrá bem.
No ano passado fiz essa mesma cirurgia, nos dois olhos.
Após cirurgia, tenha repouso, é importantíssimo.
Beijinhos no seu coração, que Deus te proteja!

claudete disse...

Tudo ok, tudo deu certo , claro, você é um protegido de Nossa Senhora das Graças, que intercede sempre por nós! Beijos no coração,a esperança sempre esteja contigo. Um grande abraço.

Fernanda Amábile disse...

Valeu pela visita.
Que tudo corra bem na cirurgia, e que continues alimentando nossa alma com seus belos textos.
bjooo

Lou Witt disse...

Desejo que tudo fique bem, que você possa ver todas as cores do mundo para sempre.

Beijo de carinho!!!

Vivian disse...

...Cadinho querido,
vibrando aqui para que
fiques ÓTIMO em tempo
record!

Deus é contigo!

bjbj

Márcia Cristina Lio Magalhães disse...

"Assim o estar parece estar em outro lugar existente na inexistência de sua própria presença. Tempo de outro tempo desconhecido desse presente que apresenta-se ausente. Mas esse presente existe sugando a vida cujo sentido, ainda que distante, faz-se próximo."

Teu texto fez-me remeter ás leituras de Vitor Hugo, gostei!

E quanto aos olhos, que estejam bem, repousados e sadios.

Amplexos,