Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

quarta-feira, 6 de abril de 2011

VENDA CASADA

É sensacional o espírito da conciliação

VENDA CASADA

Sou citado como artista, sou citado como comerciante, ouço quieto sem confirmar ou negar nada. É que pela vida a gente ouve tanta coisa, que chega momento em que bom mesmo é ficar quieto.

Vendo Painéis Cadinho Roco, óleo sobre tela, porque preciso vender e felizmente agora sim tenho sensação de que vendas acordaram porque no suceder dos acontecimentos somos estimulados a umas e outras aquisições. Foi isso que li do moço que escreveu pra dizer que simplesmente não conseguia tirar da cabeça imagem de pelo menos dois painéis que pintei. Bem que tentou resistir, desistiu resolveu escrever confirmei quais eram os tais painéis que ele disse ter eu pintado pra ele. Neste caso, os painéis já de certa maneira pertenciam a ele bastando para tanto formalizar a aquisição. Ele concordou, consultou a esposa que gostou sim dos painéis, mas se identificou com aqueles cujas fotos enviei. Pra fechar a conta, quatro painéis para o casal que disse ser adepto a compras casadas. A propósito, encomenda seguiu pra Brasília.

Belo Horizonte, 06 abril 2011

VISTO AGORA

Passamos por caminhos estranhos e quando damos por isso, por muitas vezes nem sabemos o que nos induziu a eles.

Criamos relações estranhas e em circunstâncias tão inexplicáveis, que quando nos damos conta, eis que chegamos onde chegamos.

Interessante perceber tanta atitude a colocar-se no futuro, a acertar ajeitar tudo para que em tal dia isto venha acontecer. Interessante estampar a vida para o previsível do previsível chegando até a preparar-se para este aquele imprevisto. É tão bom e tão prudente ser assim. Só que aí a surpresa perde a graça. Mas haverá graça naquela surpresa outra que cobra de nós o que não temos?

É estranho pensar em ser assim ou de qualquer outra maneira. Pensar é algo estranho. Pensar no ser que somos, mais estranho ainda. Mas o que não é estranho?

Belo Horizonte, 23 abril 2007

6 comentários:

Silvana disse...

Menininho...É venda casada...é venda solteira...rs...Afinal qual é o estado civil das suas obras? rs
Brincadeiras a parte...e o meu sincero desejo de que as negociações sejam perfeitas, tal qual é a forma de manifestar a sua belíssima arte...Bjos
Silvana

Simone Martins2 disse...

Artista, poeta, reporter, malabarista da vida, que suas artes sempre confortem aquele que em ti, se inspira...Parabens...e que pessoas distantes e estranhas habitem sempre sua vida, para que possas estar sempre rodeado de amigos...fique com DEUS!

Anne Lieri disse...

Cadinho,estranho é não se questionar,não se aprimorar,ficar na janela vendo a banda passar!Vc não é estranho...só um pouco...rsss...brincadeirinha...rsss...mas eu tb sou estranha!Vc é um batalhador da vida e temos que nos virar,amigo!Excelente texto!Bjs,

Mariana disse...

Pena q mora tão longe e não conhece pessoalmente teu talento.
Qd eu for em MG, vou querer apreciar.

Amapola disse...

Boa tarde, querido amigo.

A vida é muito estranha.
Sobre seus quadros, parabéns pelas vendas, e que Deus abençoe você, garantindo-lhe o sucesso merecido.

Um grande abraço.
(Muito obrigada pela honra da sua visita, e pelo comentário)

Helena disse...

"Não é estranho" ver tanta coisa linda por aqui! É ótimo!
Arte, palavra, talento.
Parabéns por tanta beleza e qualidade, Cadinho!
Grande abraço!