Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

sábado, 27 de agosto de 2011

CONTRADITÓRIO

É pela troca de idéias que chegamos a lugares extraordinários

CONTRADITÓRIO

Outro acontecimento vindo da Mesa da Benção para o Pappeando III está relacionado à vinda da escritora Walnize Carvalho que nos trouxe versão de onde surgiu nome da tão famosa Avenida Pelinca, em Campos.

Do livro “Cyclo Áureo – História do 1º Centenário de Campos – 1835-1935”, escrito por Horácio Sousa, constata-se que a Avenida passou a chamar-se Pelinca em homenagem ao Vigário Luiz Nobre Pelinca que tinha uma chácara na região, famosa por abrigar enorme variedade de pássaros e bichos diversos.

Da explicação trazida por Walnize, o Professor Paulo Vizela pediu permissão para contraditar dizendo haver versão popular que dá conta de um tal Pai de Santo Pelinca que poderá ter inspirado nome dado à famosa avenida.

Fica a questão em aberto para novas consultas e manifestações a esse tema proposto pela Mesa da Benção e trazido ao Pappeando III.

Walnize Carvalho é escritora, poetisa e cronista do Jornal O Diário. Suas crônicas são publicadas aos sábados no Caderno Opinião do referido jornal.

Grussaí, 27 agosto 2011

AMARGO

Ontem eu queria comprar queijo e não comprei. É que o queijo acabou e por isso pensei em comprar outro. Queijo parmesão porque aprecio seu sabor acompanhado por cerveja bem gelada. Comprei a cerveja, mas não comprei o queijo. É que o dia ficou atrapalhado e quando lembrei, passou. Queijo parmesão que gosto de comprar no Mercado Central. Mas não fui ao Mercado Central e por não ter ido não comprei o queijo que queria e ainda quero comprar.

Passo o dia com o queijo em pensamento porque não fui lá busca-lo. Ou então pensei no que não fiz e isso deu voltas ao meu pensar, tal como um queijo parmesão. Sede de cerveja gelada. Tenho a cerveja ao meu alcance, o queijo não.

Faço hoje o que não fiz, porque não dá pra deixar sempre o fazer para amanhã.

O queijo parmesão é bom, mas o sabor do não ter como fazer é amargo.

Belo Horizonte, 09 dezembro 2008

4 comentários:

MARILENE disse...

O exercício do contraditório é um direito e a melhor forma de opiniões conflitantes encontrarem um lugar comum.

Bjs.

Cores da Vida... disse...

Obrigada pela visita...

Enfim, ninguém melhor para decidir a origem do nome dessa avenida, do que o próprio povo.

Maria disse...

É pela troca de ideias que muitas vezes conseguimos ir mais além.
Bom domingo
Beijinhos
Maria

Sonhadora disse...

Meu amigo

passando para deixar um beijinho e desejar bom fim de semana.

Sonhadora