Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

segunda-feira, 30 de abril de 2012

IÇA-MIRIM


Coisas da Vida
IÇA-MIRIM
      Depois de 6 meses em terra, expedição de Binot Palmier Gonneville levantou âncoras e partiu de volta para França levando filho do Cacique Arosca, o jovem Iça-Mirim que em alto-mar foi batizado com nome Binot.
     O trato era que o filho Iça-Mirim retornasse da França após ser iniciado na artilharia francesa, num prazo de 20 luas. Só que Iça-Mirim se apaixonou na França, casou com parenta do seu padrinho, Comandante Binot, e com ela teve nada mais nada menos do que 14 filhos. Para completar, o já então assumido Binot nunca mais voltou ao Brasil que de São Francisco do Sul partiu para dar à França prole com sangue brasileiro.
Belo Horizonte, 30 abril 2012
MAIS VALE AMAR
     O que acontece no amor é que ficamos expostos a emanações que transmitimos e recebemos ao mesmo tempo. Acredito haver sintonia enorme quando pensamos muito numa pessoa sem que de fato queiramos isso. Se este ser vem com tanta força ao nosso pensar, sinal de que vamos numa mesma dinâmica ao mundo dele. E mesmo que já não tenhamos propósito de abrir comunicação, permanecemos fechados exatamente por essa comunicação.
     É impressionante sentir a força e o poder do amor solto em nós mesmos a impor pressão sobre nossa própria estima, orgulho e posturas a ao menos pretenderem preservação da nossa integridade. Mas, para o amor mais vale amar do que ficar na racionalidade dos fatos.
Grussaí, 24 dezembro 2010

5 comentários:

Marly Bastos disse...

Nossa o comandante Binot, deixou bastante sangue brasileiro na França heim??
Eu adoro o amor e sua sintonia nos corações, mas quando acontece de somente um lado pensar, martelar a paixão no peito, é muito dolorido, embora valha assim mesmo!
Obrigada pela visita.
Bjkas doces

CECILIA disse...

Hoje em dia falar nesse sentimento, basicamente nem existe mais, agora casar só para ter uma prole não sei se é considerado amor ou casar somente para ter filhos como manda a sociedade, eu não sou mãe e sinto-me bem assim, pois ter filhos divididos entre paises é complicado demais, fugindo um pouco da história, mas tendo sentido. Muito obrigada pela visita. Os preceitos de Deus realmente são fundamentais, que bom que gostou da minha postagem. Seja sempre muito bem-vindo! Abraços.

Vanoska Buchholz da Costa disse...

Olá Cadinho, obrigada pela
visita, pelo comentário.
abraço

Carla Ceres disse...

Que história interessante, Cadinho! Gostei de conhecer. Bom feriado!

Arione Torres disse...

Oi adinho, passando para te desejar uma linda semana e um ótimo feriado, abraços...