Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

PROSA SINCERA

Série Cadinho de Prosa dos Folhetos Cadinho RoCo
PROSA SINCERA
     Não faço a menor questão de esconder enorme preguiça que tenho desse tal de mercado. Da mesma maneira que não valorizo o processo de pasteurização do ser humano que pra mim faz por merecer muito mais respeito do que tem merecido por aí.
    Penso ser por isso e por aí é que o que escrevo atinge as pessoas, bem como o que crio em painéis que assino, óleo sobre telas.
     Não faço parte do lugar comum e nem tão pouco disponho de ânimo para ser um a mais em meio ao que percebo estar por aí exposto a uma insistência tão idiota quanto banal.
     Valorizo o amor em toda sua dimensão, para mim infinita, enquanto que deprecio questionamentos que não me levam a nada, a lugar nenhum.
Belo Horizonte, 14 agosto 2013
MORADA SAGRADA


Santo sol
Santa lagoa
Santa tarde
Santo arrebol.
Santificada seja
Lagoa Santa
Céu na água
Do pato Estanislau.
Late Balú seu ritual
Que crê ser a piscina
Sua pia batismal.
E já que para vida eterna
Seguiu o cão Iusque,
Que venha já um bom uísque.

Belo Horizonte, 10 setembro 2001


5 comentários:

Ritinha disse...

É isso aí!!!
Esse é você, sem rótulos.
Faz do jeito que deve fazer e não segue normas e nem padrão de qualidade, e admiro essa sua postura, dizer o que sente, pintar o que gosta e ser quem é!
Muito bom!!!
Não mude NUNCA!
bjs
Ritinha

carolina backes disse...

http://carolinalbackes.blogspot.com.br/
muito autêntico !!
sinto falta de pessoas assim!

Carla Ceres disse...

Gostei do poema combinando com a Imagem do Dia. Abraço!

Camila Monteiro disse...

a melhor coisa é ser o que somos de verdade, sem mascarar!

Gostei demais!
Obrigada pela visita. Se venho pouco aqui é porque to sem internet durante o dia todo e de noite nem sempre entro! Me desculpe!

Beijos!

Smareis disse...

Oi Cadinho,

Ficou muito bonita essa prosa.

Deixo um abraço !