Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

sábado, 22 de fevereiro de 2014

BORBOLETA

SÉRIE XAMÃ dos Folhetos Cadinho RoCo
BORBOLETA
     Nasceu uma borboleta em meu quarto.
    Na verdade dia desses vi casulo instalado em uma das venezianas do meu quarto e resolvi não mexer. Pensei comigo haver ali vida brotando deixei ficar. Nem pra Xamã contei sobre presença tão inusitada ainda em forma de mistério hoje revelado. A borboleta é toda negra com manchas alaranjadas em suas asas e não é pequena. Está onde encontrei-a quietinha mas viva, muito viva.
     Xamã mostra indiferença à presença da borboleta, fora do alcance dele. Mas não deixa de demonstrar certo ar de indagação quanto ao que poderá significar isso.
     Será algum bom presságio?
Belo Horizonte, 22 fevereiro 2014
OUTRA PROCURA

Minha procura
Na procura de
Outra procura é
Querer encontrar
Meu encontro.
Na dimensão do estar
É incômodo que
Procura encontrar
Viver ao viver
Que vive em mim
Que não sou eu
Mas que faz de mim
Eu exposto ao encontro
Dessa inquietante procura.


Belo Horizonte, 22 julho 2003

2 comentários:

Célia Rangel disse...

Xamã & Borboleta... novas descobertas! Inquietante!
Abraço.

Laura Santos disse...

Não é todos os dias que temos uma borboleta a nascer na nossa casa...Xamã desejará por certo que ela pouse perto dele para indagar melhor acerca de tão inusitado movimento.
Expôr-nos na procura do nosso próprio encontro é deparar-nos sempre com um outro.
Belo poema!
xx