Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

domingo, 8 de maio de 2016

PERMISSÃO

PERMISSÃO
     Existem lembranças apagadas, outras que permanecem acesas qual brasas que trazem consigo enorme calor. São passagens que abrem caminho para a percepção daquilo que o querer não esquece de querer.
     Na dinâmica da lembrança o diálogo silencioso a desafiar espaço e tempo embolando passado e presente numa perspectiva de mistério frente ao que está por acontecer.
     Existem lembranças servidas para mostrar que nem tudo se permite a ser só passado.
Belo Horizonte, 08 maio 2016
CONVENIÊNCIA
     Há quem diga, sei disso, que minha escrita é rebuscada complicada difícil de ser entendida pelo pessoal de São João da Barra – SJDB. Eu João da Barra sei que sei por que sei, mas nem por isso serei outro escreverei diferente. Até porque se eu tentar não terei êxito, sei por que sei.
O que interessa importa é dizer o que há pra ser dito, Batistão entende o que digo escrevo como quero e assim é que cada um faz ao seu jeito o entender do entender das coisas todas.
     Dia desses perguntaram pra mim em SJDB o que são os Folhetos Cadinho RoCo, dei entreguei em mãos exemplar e disse pra fulano ler e saber o que é. Ele disse que leu num outro dia e não entendeu.
     Não entender é também forma de entendimento, porque tem muita gente que só entende o que quer o que convém querer.
     Muita gente ou todo mundo?

Grussaí, 06 agosto 2010

Um comentário:

{W_[amar yasmine]} disse...

Salve, Cadinho, meu vizinho de BH!

Cada um escreve como quer e como se sente agradável. E ninguém tem o direito de criticar como alguém escreve. Este é um problema só do autor. De minha parte, tenho facilidade para perceber a intenção do escritor. No início, algumas vezes, pode ser difícil desvendar o estilo. Como o maravilhoso "Saramago", por exemplo, que tem um estilo de longos parágrafos sem nenhuma pontuação, estilo este que só encontrei nele. Hoje já o leio com muita facilidade.
Portanto, amigo escritor, o que importa é que expresse seus sentimentos, quem tiver interesse e dá valor à esta arte, com certeza vai entender tudo.
Adorei ler você.
Besos doces!

{W_[amar yasmine]}