Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

FALSO PODER

Somos iludidos, em muitos momentos, por nós mesmos.

Estou com minha máquina travada e no conserto e por isso sem ter como navegar e já antecipo agradcimento pela compreensão.

FALSO PODER

Não existe amor na ação que procura cercar, investigar, ou buscar o sentido de uma razão produzida pelo raciocínio da posse ou da conquista. Não existe amor na ânsia do poder mantido por circunstância que então passa a explorar a necessidade de quem precisa.

João da Barra está sempre atento ao fato de que no poder chega a ser comum o distúrbio dos gestos, ou o conflito de sentimentos. No poder as ameaças surgem numa outra dimensão, sobretudo para os espíritos que querem a qualquer custo a manutenção do destaque. Nesse sentido, ao invés de admitirem as manifestações de estima, ou as atitudes de carinho tão próprias do amor, passam para o procedimento da rejeição dura, rigorosa, feroz e por isso agressiva. Quase que num reflexo de defesa atacam porque a sensação de estar o poder sendo observado por postura que não escancara admiração e submissão coloca-o em enorme risco.

João da Barra na simplicidade do seu agir mostra haver no poder o perigo sim dele passar a dominar a quem o ostenta sem ter a devida condição de ostentá-lo.

Belo Horizonte, 19 janeiro 2010

RESISTENTE

Com meus óculos

Leio séculos

Maiúsculos

Minúsculos.

Com meus músculos

Vivo ósculos

Maiúsculos

Minúsculos.

Com meus gestos

Colho restos

De um passado

Amor amado

Momentos modestos

Breves protestos.

Belo Horizonte, 26 abril 1999

17 comentários:

Mirse Maria disse...

Cadinho, o poder quando sobe à cabeça é pior que um porre, embora eu nunca tenha tomado e não saiba os efeitos.

O que sei é que achei de um lirismo incrível sua poesia. No amor tem que haver a perfeita divisão do Ceder ao Poder.

Grande abraço

Mirse

Bia Maia disse...

"Colho restos

De um passado

Amor amado"...

Profundo isto...

Maravilhoso!

Beijos carinhosos...

Bia

Vanessa Barbosa. disse...

Cadinho, quanto tempo. acabei perdendo contato com seu blog que é tão magnifíco.

Muito bom esse texto.Um grande beeijo.

divinaefeminina.blogspot.com

Lara Amaral disse...

Mistura de sentimentos, razão em potencial, músculos... rs.

Muito bom!

Beijos.

Pitanguinha.angra disse...

amigooo..sinto sua falta..beijos pitanguinha.angra

legalmente loira... disse...

sou deste blog...
o poder sobe rapidamente.
bjos.

legalmente loira... disse...

abaixo faltou "fã"

Mariana disse...

O falso poder torna as pessoas desumanas e muitas vezes cruéis.
Grande texto.

JuJu disse...

Pois é. Realmente não existe amor na ânsia por poder. Apenas egoísmo.
Passe lá no meu blog e deixe seu comentário!!!

Cleo disse...

é verdade Cadinho, o poder dado a quem não tem condiçoes de ostentá-lo transforma a pessoa num tirano. explorar a necessidade de quem precisa? precisa amor? explorar isto já é demais, é muito poder mesmo né?
Beijos
Cleo

Uma aprendiz disse...

Bom dia!

Quando não é a net é nosso computador que increspa. Tomara que o seu fique bom logo kkkkkk

Adoro estar por aqui, muito embora esteja em um momento de reclusão virtual.

Adorei seu poema.

beijos

.Freak.Fun.Powerful. disse...

Ei! Desculpe a demora, mas obrigada pela visita!
Discutir as mudanças pessoais e emocionais que acontecem quando se adquire ou perde poder é sempre complexo e necessário. Parabéns

Bia Maia disse...

Saudades...

Elcio Tuiribepi disse...

Olá Cadinho...concordo muito contigo...muitas vezes nos iludimos e acreditamos no impossível..de fato...isso não é muito bom...
Se sua máquina voltar a tempo,está feito o convite...

Vamos a parte colada...rs

Mudando de assunto, eu agora te convido a participar do aniversário de três anos do Verseiro, no dia 26 de janeiro.
A idéia é que cada um que queira participar, faça uma postagem colocando uma foto sua quando criança ou adolescente junto a irmãos, primos ou amigos e conte alguma passagem de sua vida nessa época, alguma travessura, algum fato que marcou em sua memória de forma alegre, engraçada...rs
Vamos comemorar e sorrir juntos...
Conto com sua presença, mas fique a vontade quanto a fazer a postagem ou não ok...

“O passado não reconhece seu lugar
Está sempre presente”

Mário Quintana

Um abraço na alma...

elisabete cunha disse...

Maravilhoso revê-lo e ler essa maravilha Cadinho!
beijo

Desnuda disse...

Cadinho,

amei o texto, o poema e saio feliz por ter lido esta bela postagem do amigo. Obrigada.


Carinhoso beijo e excelente fim de semana!

Daniel Savio disse...

Cara, quem que busca o poder, acaba sendo dominado por ele...

O que importa é viver a vida (pensado na segunda parte do teu post)...

Fique com Deus, menino Cadinho.
Um abraço.