Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

sábado, 16 de janeiro de 2010

QUALIDADE DE VIDA

Parece que agora está normalizado o procedimento de inclusão dos comentários aqui no nosso blog

QUALIDADE DE VIDA

Existem momentos e situações que não devem merecer o tratamento dos extremos, adverte João da Barra.

A questão não está em ser a favor ou contra a realização de shows em São João da Barra. O que de fato faz por merecer atenção e cuidado é o que faz com que tudo isso aconteça.

O mundo coloca-se de luto diante da tragédia dos tremores de terra no Haiti em que a previsão dá conta de que mais de uma centena de milhares de pessoas tenha morrido. É gente demais.

Eis aí sinal mais que evidente do quanto é importante estarmos atentos à prevenção.

São João da Barra é município que leva enorme vantagem sobre muitos outros quando abrimos relação entre sua população e arrecadação de dinheiro vivo.

São João da Barra é hoje município rico demais para o quanto há de pobreza por seu território. A partir daí é que devemos despertar atenção para o plano diretor do município, para o que de fato justifica e qualifica seus gastos frente à sua arrecadação.

São João da Barra tem oportunidade de ouro para ser grande e exemplar no que refere-se à sua população e à qualidade de vida esparramada por toda sua extensão.

Belo Horizonte, 16 janeiro 2010

A DÚVIDA DO RASCUNHO

Posso entender. O anel também pode entender. Fico, como também fica o anel. Cada um em sua posição. Há sempre uma posição no espaço tão meu quanto do anel.

Posso esquecer. O anel também pode esquecer, ou permanecer esquecido. Eu diante dele, neste mesmo silencio. Também posso permanecer esquecido.

Posso lembrar. O anel também pode lembrar, ou ser lembrado. Da lembrança, a procura. Procuro no anel a sutileza do detalhe. O anel parece procurar em mim o que não sei. Fico quieto, sem saber. Talvez ele não seja o anel que procuro.

Posso lembrar, mas é assim mesmo que o esquecimento aparece. Ela esqueceu de dizer a medida do seu dedo. Divago pela órbita da dúvida.

Belo Horizonte, 03 abril 1999

4 comentários:

Lara Amaral disse...

Então vão-se os anéis, e nós também.

Bonita prosa, beijos!
Bom fim de semana.

Bia Maia disse...

Lindo como você escreve!!!

"Ela esqueceu de dizer a medida do seu dedo. Divago pela órbita da dúvida."

Muitas vezes é a dúvida que nos alimenta...

beijos carinhosos e ótimo final de semana!

Bia

Maria Flor! disse...

Belissima prosa, és fonte de inspiração.
Muita Lus em suasinspirações.

Beijos...

Anita "Menina Flor" disse...
Este comentário foi removido pelo autor.