Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

PODER DA MENTIRA

Na verdade não dá pra mentir

PODER DA MENTIRA

O que é que as pessoas buscam e pretendem de todo e qualquer relacionamento?

A pergunta vem de João da Barra que em silencio aguarda pelo meditar da vontade.

Na vida pública, ou no plano político, instituiu-se dizer que é preciso haver transparência nas ações e posturas dos governantes, servidores, parlamentares e em toda esfera do poder público.

Numa visão mais ampla e direta João da Barra diz que somos todos admiradores e carentes da verdade. No entanto, diante do que hoje acontece a partir do governo federal brasileiro é um festival de sucessivas mentiras. E isso é péssimo porque a partir daí a mentira passa a propagar espécie de cultura adotada por representações estaduais, municipais e até mesmo por quem almeja de maneira ou de outra o poder.

João da Barra então alerta para que isso não seja aceito ou transformado em voto a, por aí, estimular e ampliar o poder da mentira.

Belo Horizonte, 05 fevereiro 2010

UMBILICAL

Na malícia do riso, a alegria da vontade. No trejeito do corpo, a roupa que sugere a nudez. E do corpo nu, a veste do desejo.

No umbigo, uma intenção remetida ao ventre. Delícia que brinca com os mamilos tão sensíveis. O beijo na boca da boca que abocanha a boca dos lábios a provocarem a língua. As línguas na linguagem alucinada do beijo que busca, que suga, que brinca e que morde sem morder os dentes detidos pelo agir espontâneo do carinho.

Aí, o mergulho que leva e traz o tempo ao tempo do gozo adiado para daqui a pouco.

Belo Horizonte, 19 julho 1999

8 comentários:

Daniel Savio disse...

Menino, tem gente que quer acreditartanto na mentira que esta mentira contada acaba se tornando verdade...

Para que alguém estava se despindo perante ao próprio desejo...

Cara, agradeço o convite, mas o meu dia vai estar meio atarefado, mas passo lá se puder, ok?

Fique com Deus, menino Cadinho.
Um abraço.

Barbara disse...

Penso modestamente que "diante do que SEMPRE aconteceu no Brasil" - a mentira foi a tônica.
Mas não é apenas uma questão brasileira ou pontuada no tempo - é coisa humana.
Pais mentem, filhos mentem, homem X mulher mentem, chefes mentem, empregados mentem, todos mentem.
Não me admira nada a mentira.

Graça disse...

Cadinho Roco...

Boa tarde: minhas saudades!!

Dois coments, meu querido amigo, sobre o caso da 'mentira'... muito bom e louvável... evidente!

Mas sabia que apreciei demais essa veia 'literária' do seu segundo texto???
MUITO BEM ESCRITO!

Um forte abraço.

Anônimo disse...

Oi! deixando a mentira ou as mentiras de lado....
você está um charme nesta foto aí, de chapéu e óculos escuros, um deus grego uau!!!
beijos
Cleo

Mulher na Polícia disse...

Esse texto "Umbilical" é daqueles que deixam a gente sem fala ou sou eu que não tenho palavras mesmo.

Tem que avisar antes Cadinho.

"O Ministério da Saúde adverte esse texto do cadinho causa afonia por tempo indeterminado"

Um beijo!

Ana Cristina Cattete Quevedo disse...

Esse texto é daquqles para ler reler, refletir...e ler de novo.
Claro, sucinto, adorei.

Beijo

JuJu disse...

Um dia essa mentirada toda ainda há de acabar. Pode apostar.
...
Passe lá no meu blog e deixe seu comentário!!!

Teresa Cristina flordecaju disse...

Dentro do armário de nossas palavras há aquelas que nos dizem tão bem, que julgamos repousar nosso rosto em verdades...

Sobre os olhos do desejo, um poema caminhando em prazeres de poéticos...


Talvez o vento entre debaixo de meus cabelos e sussurre do amor das palhas das palmeiras por uma noite de luar...