Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

segunda-feira, 22 de março de 2010

PARTIDA

Justo quando me preparo para ir embora de Grussaí eis que percebo sinal captado pelo mini moden Oi muito bom. Vou, mas volto já.

PARTIDA

O momento da partida traz consigo silencio amargo e nostálgico. Não é bom ir embora do lugar que sentimos ser o nosso lugar.

João da Barra ouve atento o que digo e por não discordar não chega a concordar propriamente dito, porque diz haver na partida, além da ida, o início da volta. E como se isso não bastasse, na partida a exuberância do lugar que situamos nosso faz-se mais importante ainda. O que nem sempre é percebido por quem habita nesse lugar em que apesar de haver muito a ser feito, ostenta o encanto e a magia de um desprendimento nutrido por natureza tão expressiva.

Grussaí, 22 março 2010

EU SEM RESPOSTA

Por que negar a madrugada a buscar de mim tanta vida?

Por que negar a manhã a buscar de mim tanta vida?

Por que a loira e enluarada silhueta a buscar de mim tanta vida?

Por que negar os sonhos e os desejos tantos a buscarem de mim tanta vida?

Eu tão sem respostas insisto em permanecer na insistência de tão óbvias indagações. E da música que ouço, a sugestão viva de tantos momentos escapados da vida. Enquanto isso, o caminho outro do entendimento na desavença do silencio que, como eu, permanece sem respostas.

Belo Horizonte, 24 maio 2000

10 comentários:

Daniel Savio disse...

Está voltando a BH, você é Jota, interessante e cuidado na viagem.

Cadinho, as vezes uma mulher nega apenas para testar a nossa real vontade, pois se ela for forte, conseguimos a pessoa que julgamos amar...

É que Tat anda afasta dos blogs devido a uns problemas pessoais, mas está tudo se normalizando ao poucos.

Fique com Deus, menino Cadinho.
Um abraço.

Vivian disse...

...toda partida tem um porto
de chegada, não tem?

deixo beijos...

Mulher na Polícia disse...

Cadinho,

Bom dia, meu querido.

Sobre aquilo que a gente conversava lá...

Alguém tem que fazer o trabalho.
É o submundo, querido.
O homem em estado de putrefação.
É muito Nelson Rodrigues.
E faz mal para o estômago, para as vistas... mas fortalece o coração da gente, os valores, a família.
É um grande e rústico aprendizado.

Muito obrigada por sua visita e comentário!

Beijo!

Felina Mulher disse...

Correndo para o trabalho, mas passei para ler-te e deixar o meu beijo especial.

Neto disse...

Dizem que o momento da partida é tão empolgante quanto o da chegada. E mesmo que seja de um lugar não tão distante assim.

Ah! quanta saudade daquelas maravilhosas viagens :-)

Tudo de bom pra você companheiro!

Érica disse...

A partida é a questão de quanta vida a gente vive, e quanto resta a ser vivida.

Beijos

Ana Lúcia Porto disse...

Cadinho,

Dessa vez, eu estou passando por aqui, tão somente para lhe dizer que eu ficaria muito feliz se você fosse comer uma fatia de bolo, comigo, em meu blog...

Estou lhe aguardando.

Beijos,
Ana Lúcia.
PS: Não pude evitar, adorei essa sua foto...!! Está muito boa..., você ficou com um ar gostoso, de turista em férias, super relex...

Rafael Ceciliano disse...

Te convido para visitar meu blog: http://raioxceciliano.blogspot.com

Se possível, me seguir pq tenho poucos seguidores. Isso me deixa desmotivado! rs'

Um abraço e aguardo sua visita...

by: Rafael Ceciliano.

Fernanda de Oliveira disse...

Olá, vim agradecer e retribuir a visitinha que vc fez lá no meu blog e obrigada pelo carinho e por ter gostado do meu quintal, do meu cantinho que gosto tanto.

Volte mais vezes, vou gostar muito de suas visitas!

=]

Elcio Tuiribepi disse...

Enquanto isso, o caminho outro do entendimento na desavença do silencio que, como eu, permanece sem respostas.
Gostei disso amigo...o silêncio dá respostas a nós mesmos, mas não as indagações que fazemos a terceiros...essas na maioria das vezes acabam gerando mais silêncios ainda...ou não...
Um abraço na alma...obrigado pela presença lá no Verseiro...