Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

quinta-feira, 13 de maio de 2010

AÇÃO DO AMOR

Para encontrar é preciso buscar

AÇÃO DO AMOR

Haverá sentido em ter medo do amor?

Haverá sensatez em estancar o amor?

Haverá pertinência em evitar o amor?

Tal como o mar que precisa da praia para lançar sua onda, eis que o amor precisa da permissão para lançar seu propósito em forma de gesto assumido por nós.

Não há sentido em buscar a preservação do ser pela inibição do amor que também é desafio, ida, atitude e consequência.

Belo Horizonte, 13 maio 2010

INCONFESSO

Olhos trazidos

E tragados

Pelo sonho

Sua imagem.

Instante fugido

Trazido e vivido

Pelo querer

Sua presença.

Delírio secreto

Denúncia

Renúncia.

Quietude

Inquietude

Plenitude.

Belo Horizonte, 29 maio 2001

15 comentários:

Camille disse...

Que bonito!

Tatiana disse...

Não... ninguém pode criar barreiras para o amor.
Se não o deixarmos livre, ele morrerá!

Gustavo Rangel disse...

O problema não é criar barreiras para o amor. As vezes ele mesmo cria essa barreira.
Abraços amigo e espero vc para uma cerveja em Chapéu do Sol!

Hod disse...

Grande amigo Cadinho.
Uma Vida
Em desamor
Esconde o bem
Mais precioso
O Ser que deixa de Viver...!!

Forte abraço amigo,

Hod.

Dois Rios disse...

Oi, Cadinho!

A "Ação do Amor" é vital para o ser humano. Ela é o oxigênio do bem.

Gostei da poesia. Seria um sonho inalcançável? Assim a entendi.

Beijo,
Inês

Daniel Savio disse...

Realmente, sem amor somos nada...

E é melhor se trabado por um bom sonho do que um pesadelo...

Fique com Deus, menino Cadinho.
Um abraço.

lucidreira disse...

Tem que ser assim mesmo, abra suas fronteira para o amor e deixe percorrer a sua estrada.
Belissímo
Abraço

Uma aprendiz disse...

AÇÃO DO AMOR?
Esse é o segredo?

CONFESSO
Bebi o amor
Como o mar
Que engole o rio
Plenitude
Deliciei-me
Como a areia que
se deixa aquecer
pelo sol
Quietude
Guardei na lembrança
a imagem da
Sua presença
Renuncia
Inquietude
Desejo
Busca


Uma delicia passar por aqui e brincar com suas palavras um Cadinho só. kk

um abraço

Baby disse...

Lindo o poema INCONFESSO!
Quanto ao amor ele é a acção primordial na vida de todos nós.
Um abraço.

Lu Rosário disse...

O amor é uma peça que nos move.

E quanto ao seu comente em meu blog, tem resposta lá..que transcrevo aqui:

Ei Cadinho, essa resposta fica sendo para você..pode ser assim?!

Apois, meu amigo e tanto, você me entendeu errado. Não quis dizer que duas pessoas juntas não possam desfrutar de liberdade, mas que a mulher enquanto solteira.. pode, muito bem, querer permanecer neste estado. Digo isso por causa da apelação que é feita em relação às mulheres que estão sem um parceiro, como se elas estivesse sofrendo por isso. Que nada, muita mulher prefere ficar solteira mesmo!

E, ainda que tenhamos um namoro livre há uma entrega de um para o outro.. o que nos permite dizer que eu sou de fulano e fulano é meu, mas nada que nos coloque em posição de objeto perante o outro..me entende? Quanto a solteirice, não custa nada lembrar das ficadas em festinhas e dos relacionamentos que começam e terminam rápido, nos quais não há amor.. somente a satisfação exigida pelo corpo.

Beijos em tu!

IT. disse...

Olá, RoCo!

A vida nos faz rodopiar, sempre oscila de um lado para outro.Uma inquietude que nos faz buscar a incompletude na ausência.

Muito obrigada! por visitar o
"Som do Coração" e, sinta se à vontade em lá retornar.

IT

Elaine Barnes disse...

Muito sensível os questionamentos. Não. Ninguém deveria ter medo se amar, de se entregar,mas...As barreiras existem para serem quebradas né?! Adorei amigo. Montão de bjs e abraços

- maria elis disse...

não diria que é um motivo e sim uma desculpa para não amar '-'

beijas :*

Fê-blue bird disse...

Em primeiro lugar obrigada pelo seu carinhoso comentário no meu "Sonho de menina"
Tem aqui um espaço que merece uma visita mais cuidada, virei mais vezes se mo permite.
Um beijinho

Talles azigon disse...

meu caro citarei um gênio da minha terra, Marcus Dias

"amor é como morada alheia, agente entra quando pode e sai quando precisa"

Grande abraços, li vários posts seus tens uma poética que me agrada bastante seguindo-te