Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

segunda-feira, 31 de maio de 2010

PELA ENERGIA DO AMOR

Para contato sobre negociação dos painéis o endereço é: cadinhoroco@yahoo.com.br

PELA ENERGIA DO AMOR

Não quero entrar muito em detalhe, primeiro porque penso não haver razão pra isso e segundo porque não considero haver interesse em seguir por essa trilha. Fato é que voltei mesmo a produzir pintura nos painéis, óleo sobre tela. O que parece ser simples não chega a ser bem assim porque para criar é preciso se permitir e para se permitir é preciso encontrar o que tanto pode ser clima como ambiente, ou algum estímulo semelhante.

Tenho sim a necessidade de vender os painéis, mas se eu disser que pinto por esse motivo, minto. O que impulsiona a criatividade em mim vem por outra necessidade, nada a ver com a da venda ou comércio.

Os painéis estão ao dispor de quem se interessar por eles, na certeza de que nas pinturas o amor comparece sempre como energia essencial. Tenho a necessidade de amar sempre.

Belo Horizonte, 31 maio 2010

FALSA PARTIDA

Imagens retidas na lembrança. Uma imagem a vagar pelo pensamento solto em suas mais espontâneas emanações.

Carinho. O querer exalado pela liberdade do sentimento exposto ao seu mais vivo gesto. Assim transpira o encanto de tão viva presença a permanecer com vida e presente na lembrança. Espécie de sonho a emancipar a realidade para sentido mais profundo de sua própria razão de ser. São valores perdidos no tempo e espaço de atitudes e condutas a não conseguirem do acreditar mais que simples e rudes evidências. Seres agidos por meros interesses a não conseguirem ser mais que passos incertos e precários.

Uma imagem que parte sem partir. Despedida transpirada por sentimento a dispensar palavra e gesto.

E quando não vamos embora?

Belo Horizonte, 15 outubro 2001

16 comentários:

Mila disse...

Olá!
Belo texto!
Bjs
Mila

Vivian disse...

...tudo que se faz por amor
é válido.

até paineis e artes comerciáveis
ficam mais interessantes se levam
com eles esta mágica energia
tão plena e tão essencial!

bom dia, querido!

Mônica disse...

Oi conterraneo
Nós aqui de casa assinamos o Estado de Minas uma vida.
Seus textos me lembra alguns contos dos realizados semanalmente.
Quem sabe voce não escreve por lá também?
Mamae e eu iriamos adorar.
com carinho Monica

Valéria Sorohan disse...

E aqueles que não vão embora, e que não há sinal nenhum de carinho, mas está ali na sua frente e você tem engulir e aturar, e nada mais.
Que bom que voltou com suas telas.

BeijooO'

JuJu disse...

Às vezes, a gente fica com vontade de mudar nossa maneira de fazer arte. Aconteceu comigo também, passei dos textos literários para me decicar mais às histórias em quadrinhos agora. Boa sorte com as pinturas em tela, nesse questito aposto como você também faz bonito!
...
Passe lá no meu blog e deixe seu comentário!!!

*lua* disse...

"para criar é preciso se permitir e para se permitir é preciso encontrar o que tanto pode ser clima como ambiente, ou algum estímulo semelhante".

Estímulos estes muitas vezes denominado amor ou o simples desejo de cair em suas garras novamente ... beijos e ótima semana para ti!!! menino!

Ana Lúcia Porto disse...

Todos partem, mas as lembranças ficam...

Um abraço,

marinaCavalcante disse...

Gostei muito dessa sua reflexão:
"para criar é preciso se permitir e para se permitir é preciso encontrar".

=] Bem verdade. Boa postagem!

Abraços e espero sua visita!

Inside Me disse...

olá, q textos belos viu... o amor pela arte é o que faz dela o que é...
amei isso: "Seres agidos por meros interesses a não conseguirem ser mais que passos incertos e precários." mt profundo viu...
p.s. obrigada pelo carinho nesse momento.
bjão.

Dois Rios disse...

A arte precisa jorrar dos que tem o dom de posuí-las. Sejam pinturas, poesias, esculturas, contos, etc. é preciso deixá-las fluir independente do que ela possam representar financeiramente.
===
Quanto ao segundo e belo texto, transcrevo abaixo uma pequena poesia de Manuel Bandeira.

Todas as manhãs o aeroporto em frente me dá lições de partir.

Hei-de aprender com ele

A partir de uma vez

– Sem medo,

Sem remorso,

Sem saudade.


Beijos,
Inês

sonho disse...

Há "coisas" que nunca partem...a lembrança que temos...
Beijo d'anjo

Dryka Sales disse...

querido, volte sempre =)
um beijo :*

Lua Nova disse...

Que bom que voltou a fazer o que gosta. "A arte existe porque a realidade é pouca, não nos basta" como disse Ferreira Gullar. Fazer arte é ter o dom de expressar ao mundo a intimidade com sua própria alma. Como vc disse, " O que parece ser simples não chega a ser bem assim."
Boa sorte e felicidades.
Passe em meu blogue para tomar um chocolate.
Uma semana produtiva e feliz.
Beijos.

Sarah Slowaska disse...

"para criar é preciso se permitir "
Não poderia concordar mais. Temos que estar abertos à arte, à vida, pois não há vida sem arte.
No fundo, somos grandes portais: captamos as nossas energias e estímulos e libertamos aquilo que criamos a partir deles.
Quem se tranca na cela, nunca saberá o que está detrás das grades.

Um beijo!

Bia Maia disse...

quem tem sangue correndo nas veias, tem sempre de estar amando...

Ana Maria disse...

Lindo ! É amar, amar e amar.
O amor é divino, tudo feito com ele e por ele, sobressai mais belo!
Muita energia na sua caminhada, meu amigo querido.
Estive de férias, por isso sumi uns dias.
Beijinhos iluminados!