Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

terça-feira, 1 de junho de 2010

QUIETUDE DA MULHER DO BOI

Tudo é uma questão de tempo

QUIETUDE DA MULHER DO BOI

Do silencio que invade a alma João da Barra experimenta a força do sentimento que liberta a própria alma.

O amor é sentimento de libertação, é postura de ida incontida e livre de todo e qualquer dizer, dizer, dizer.

Na distância imposta pela quietude da Mulher do Boi a aproximação de relatos observados por João da Barra.

Na angustia a pressão do que comprime o ser ido ao ceticismo do seu próprio libertar, libertar, libertar. Não há razão no pranto que clama pelo alívio que é sinal de reflexo vindo da busca de quem não consegue o desprendimento do seu próprio agir, agir, agir.

O amor tem estreita relação com a liberdade que tem em seu agir a manifestação equivalente ao mar que liberta das suas ondas estrondos ensurdecedores e fascinantes, fascinantes, fascinantes.

Belo Horizonte, 01 junho 2010

DISCRIÇÃO

Noite de chuva, lampião aceso, pensamento ardendo qual língua de fogo. Da labareda, luz que desenha sombra na parede da imaginação. Ela aparece. Sendo só vulto, sua quietude é evidente. Mas imagino conversa. Primeiro, cumprimento amistoso. Há felicidade vinda da luz do lampião que parece trazer algum recado.

Mesmo sem ouvir sua voz, decifro o que traz assunto ao espirito. No imaginário, o impossível cede espaço para a possibilidade. No lampião, fogo transformado em luz ilumina além imagem.

Barulho de chuva mansa brincando com a silhueta dela. Estamos próximos e permitidos ao encontro a exigir discrição.

Agora, quem fica quieto sou eu.

Belo Horizonte, 19 outubro 2001

11 comentários:

Isadora disse...

O Amor é capaz de nos causar ou nos libertar de muitos males. Prefiro a segunda opção, por isso o olhar e coração atentos para irmos embora enquanto é tempo, afim de buscarmos aquele que nos libertará.
Amores não são algemas, nem clausuras e muito menos "obrigação".
O Amor não precisa ser triste.
Como já diz o ditado: o amor só sobrevive em liberdade!
Um beijo

Talles azigon disse...

cada palavra uma imagem, cada imagem mil palavras, gosto dessa sua escrita tela.

tem uma promoção lá no blog, gostaria que você participasse

Fê-blue bird disse...

O amor tem sempre o condão de nos fazer poetas.
Gosto demais das suas palavras e do sentimento que elas provocam.
Um abraço

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Segurar certas ações é pra quem tem pulso firme. Às vezes não dá mesmo.

até mais.

Jota Cê

Lua Nova disse...

"Barulho de chuva mansa brincando com a silhueta dela".
Dá pra sentir o ambiente, o clima sensual e de expectariva...
Muito bom.
Beijos.

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

No imaginário sempre tem uma brecha pra viver tudo de verdade.

Maravilhosa terça, querido amigo.

Rebeca

-

Mônica disse...

Tudo em sua mão vira poesia e prosa.
com carinho Monica

TOP BLOG ws disse...

Olá.
Venho por meio deste convidar-te a participar do 'Top Blog da Semana' do site 'TOP BLOG ws'.
PRÊMIO: Espaço de publicidade em um blog de qualidade. Cadastre seu blog e concorra.
http://videosincriveis.ws/topblog

Um grande abraço!

MEU DOCE AMOR disse...

Amor é alegria e quem nos ensina isso são as crianças.São elas que transportam a luz do lampião e poucos vêem isso.

Convido-te a ler o peminha feito pelas crianças.O que achas?

Beijinho doce esperando por ti

Pétala_Rosadinha disse...

Bela maneira de falar de amor... Sua escrita me encanta, moço.

Beijos.

Te cuida.

Magui disse...

Não devia, cáspita!!!!!Logo agora!