Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

domingo, 13 de junho de 2010

SONETO PARA A MULHER DO BOI

Dela um momento, digamos, particular

SONETO PARA A MULHER DO BOI

No silencio do artesanato

A Mulher do Boi medita

Guardada pelo mais puro recato

De quem na vida acredita.

Possuído por sentimento nato

João da Barra em paz infinita

Observa da quietude de cada fato

O pulsar do amor em órbita.

Na façanha de cada dia

A presença do Mulher do Boi

Num João da Barra que confia

Na revelação do que foi

O que hoje cria

Aquilo que o querer constrói.

Belo Horizonte, 13 junho 2010

ESPUMA

Ontem pensava na conversa que aconteceu hoje. Rápida e objetiva. Um aperto de mãos, proposta lançada sem rodeios e a aceitação.

O mundo parece respirar depois de sufocado por período que nem consigo comensurar. Fujo das contas enquanto espero na fila, minha vez de ser atendido naquela agência bancária completamente alheia a tudo que penso e observo.

Anoitece. Depois de tudo, o raciocínio sacia sua sede em leve mergulho na espuma da cerveja gelada. Faz calor.

O mundo parece acordado depois de estranha letargia. Só agora a lembrança desperta para o que antes sugeria tema a essas palavras idas a outro rumo.

E por averiguar a possibilidade dos rumos, eis que levado sou à espuma da água do mar na praia.

O mundo parece perdido em meio a tantos lugares.

Belo Horizonte, 10 janeiro 2002

13 comentários:

Giane disse...

Mas de uma maneira ou de outra, o mundo sempre se encontra.

Beijos mil, Cadinho!!!

Gustavo Rangel disse...

Excelente parceiro!!

Lua Nova disse...

Poxa!!! Até eu to respirando melhor. Fico feliz por vc. Um brinde ao seu sucesso!
Que esta semana seja muito mais feliz e que vc faça muitas vendas.
Um beijo.

Talles Azigon disse...

Anoitecemos sempre, vendo que o mundo é mais real do que deveria ser

Fa menor disse...

Interessante como estabelece o paralelo entre o que escreve na actualidade e o já escrito anteriormente.

Afinal, o mundo, não mudou ainda assim tanto.

Belos textos!

Bjos

Elaine Barnes disse...

Acho que a maneira como estamos e sentimos nosso momento é como vemos o mundo. Graças a Deus ele sempre acorda pra gente uma hora né?! Muito bom,gostei também da mulher do boi. Um primor!
Montão de bjs e abraços. Se puder visite meu primeiro post no bloggirls
http://asmeninasdoblog6.blogspot.com/ Ficarei mais feliz

Insana disse...

muito bom..
agradeço suaspa lavras em minha ultima postagem

bjs
Insana

Maria José disse...

Interessante. Gostei mesmo. Abraços e bom domingo.

Mariana disse...

mulher do boi, esta é boa.
Gostei do soneto, foste criativo.
Desejo-te uma ótima semana.

Bia Maia disse...

Quando o meu mundo parece perdido ...paro tudo e só observo...


beijos em seu coração,

Bia

JuJu disse...

E tantos lugares parecem perdidos em meio ao mundo...
Continua muito inspirado, como sempre. Se até um dia aparentemente comum vira poesia...
...
Passe lá no meu blog e deixe seu comentário!!!

Nadine Albalustro disse...

Obrigada por comentar em meu blog. Não há como definir o amor, realmente. Apenas senti-lo.

Volte sempre!

Nadine Albalustro

Dona Sra. Urtigão disse...

Gostei muito, acima de tudo o gran finale...