Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

sábado, 14 de agosto de 2010

RASTRO DE AMOR

Assim é que é

RASTRO DE AMOR

Entre momento e outro aquele em que do silencio da quietude somos contemplados pelo nascimento do que em nós propõe crescimento.

Assim é o processo criativo que em mim necessita de instante em que acontece o brotar do que depois traduzirei em palavras ou traços pintados e estampados em painéis ou panos outros. Não há uma regra, nada que especifique o processo que em mim assume espécie de transcendência a compor e ao mesmo tempo decompor o meu ser em entrega a libertar em expressão o mais puro sentido do sentimento.

Por isso é que digo haver no que escrevo e pinto evidente rastro de amor.

Belo Horizonte, 14 agosto 2010

DISCURSO E COCHICHO

É vento que sopra

Presença que surge

Dia que passa

Noite que vem.

É agora e depois

Ontem amanhã

Desejo confuso

Na fusão dos fatos.

É assim mesmo

Que mesmo assim

Tudo continua.

É luz e sombra

Discurso e cochicho

Na alma da vida.

Belo Horizonte, 30 março 2003

7 comentários:

Marilu disse...

Querido amigo, tenha um lindo final de semana...Beijocas

Felina Mulher disse...

Quanto mais conheço os homens... Mais eu me apaixono...kkkkkkk

Beijos pra ti Mineirinho.

HSLO disse...

maravilhoso esse rastro de amor.


abraços
de luz e paz

Hugo

Vivian disse...

...aprendí desde pequena,
e hoje ensino tbm aos meus
filhos, para que olhem
e respeitem qqr obra de
arte, qqr trabalho artistico,
qqr livro, seja ele marcante
ou não, porque alí está
depositado o amor e alma
de seu criador.

beijo, menino!

Daniel Savio disse...

Amor só deixa rastro num coração fertil, seja de sonhos, ou de sentimentos...

Fique com Deus, menino Cadinho.
Um abraço.

Aleatoriamente disse...

Então na alma da vida hoje eu trabalhei o dia inteiro heheh...
Teu poema é muito lindo, as palavras tão cheias de cores e de poesia.
Obrigada pela a visita.
Abraço.

Fernanda!

Canto da Boca disse...

É o vento soprando a vida, com sua metódica rotina: noite & dia; luz & sombra, e nós nesse círculo, ciclicamente...

Abraço, Cadinho!

;)