Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

OBJETO DE ARTE

Tem gente que não consegue ser conveniente

OBJETO DE ARTE

Mesmo que sejamos induzidos ao desalento, devemos sempre acordar para o alento da disposição em agir e reagir às diversidades todas. Se o que precisamos é de fôlego, que saibamos então respirar e aproveitar o ar que nos é concedido sempre. Tem hora que é duro demais. Isto porque tem gente que não tem a menor noção de nada. Dou duro danado pra pintar bonés e painéis. De repente surge a outra que mal conheço pra pedir um dos bonés que pinto. Faço que não ouço, demonstro indiferença mas ela vem insiste querendo saber se não pinto um boné pra ela.

Tem gente que vive de pedir coisinhas, não gosto disso. E pra completar aproveito digo que preço dos bonés está muito acessível em se tratando de um boné personalizado e com detalhe de ser uma peça de arte.

Não serei hipócrita em negar que os bonés que pinto não são pra quem quer e sim pra quem pode ao menos perceber o que é um objeto de arte.

Grussaí, 16 dezembro 2010

NOITE DA DOBRADINHA

Na mesa redonda do Verde-Limão estávamos eu, Maurição, Ricardim e Juninho que casou a pouco tempo e que pela primeira vez saiu sem companhia da sua amada. Mas o motivo do encontro reunião era o de experimentar a dobradinha servida no Verde-Limão. Em meio a animada prosa, eis que surge a dobradinha para alegria apetite ansioso do não menos agitado Ricardim. Foi experimentar e exclamar alto e em bom som: espetáculo.

Tudo transformou-se em eufórico banquete. Maurição mais parecia comer pimenta com dobradinha. E de toda aquela disposição, eis que telefone tocou querendo buscando atenção do Juninho. Saudade dela que queria maridinho em casa, já. Resolvemos dedicar gracioso bilhete cartão para a queridinha Alexia, no propósito de amenizar qualquer eventual transtorno, muito próprio do amor, ao nosso prezado Juninho.

Ele foi embora e a farra continuou entregue àquela mais que saborosa dobradinha.

Belo Horizonte, 14 junho 2005

4 comentários:

Daniel Savio disse...

Parece que de tempos em tempos aparece uma alma para nos testar a paciência, fato...

E estar com os amigos para comemorar sempre é bom.

Fique com Deus, menino Cadinho.
Um abraço.

M. disse...

A arte não é para todos. Como tu bem sabes.


Mas sinceramente...ainda bem!

Georgia disse...

Cadinho, pega um solzinho ai por mim, vai, rs.

E...mesmo com tanta neve pelo caminho, fiz um cartao de natal para os amigos. Venha pegar o seu na Saia Justa.


Abracos

José Vitor disse...

Cadinho, desci pelo blog e parei nesta colocação do amigo pidão; engraçado né!? Como as pessoas se repetem? [Trabalho com Marcenaria]

Abraços amigo, a outra coisa, segue meu blog, quero ler teus textos.