Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

domingo, 31 de julho de 2011

ENCONTRO PROMISSOR

Duas situações totalmente distintas

ENCONTRO PROMISSOR

A vida dá voltas, voltas e mais voltas e isso acontece é todo santo dia, sempre. Razão pela qual sentimos sensações por vezes estranhas e de uma aparente distância, mas que na essência da verdade sinaliza para o que misteriosamente está muito muitíssimo mais perto de nós do que pensamos. E isso faz com que daqui e de acolá sejamos lembrados, encontrados, contemplados e surpreendidos por encontros e manifestações diversas.

É incrível como intuí que eu estava perto de encontrar o Marcílio, com quem trabalhei durante anos na Rede Bandeirantes de Televisão. Pois não é que, de repente, eis que o Marcílio aparece do nada para iniciarmos conversa que promete bons frutos?

Belo Horizonte, 31 julho 2011

ESTOU SEM ESTAR

Recebo mensagem de pessoa amiga demonstrando preocupação por meu estar, digamos, entristecido. Já adianto que nome não direi.

Busco da mensagem mote para este dizer que nem chega a estar tão triste assim. No entanto não deixo e não nego estado contrariado por estar aqui, porque o que quero é estar perto do mar. Vivo moro em cidade que a mim causa enorme estranheza. É possível que aí o problema seja meu e não da cidade. O que também não muda em muito minha indisposição. Estou aqui, porque não tenho como sair daqui, isto é fato e não nego. Aliás, nem estou aqui, posto que já não transito e nem convivo com esta cidade como já fiz e até preciso. E se estou assim, é porque tenho sim meus motivos que também são meus só meus.

Belo Horizonte, 06 maio 2008

5 comentários:

Sakura disse...

Aloha!

O mundo dá tantas voltas que eu fico até tonta!
Tantas situações, tantas palavras, eu me perco nelas.

Sobre estar sem estar, eu vivo numa miríade de emoções e sentimentos, sob as mais diversas aparências.

***

Todas as minhas exposições são constrangedoras, só que a minha confiança as abafa.

Aloha!

Maria Helena disse...

À medida que lia cada palavra do que você escreveu visualizava nitidamente sua arte. Visualizava a dor de quem nasce com a sensibilidade de perceber o que está nas entrelinhas e os sons inaudíveis que há em cada cantinho do mundo.
Vejo arte na sua alegria e muito mais no seu entristecer. A sua mente exercita a arte a cada corrida para o mar, em pensamento.
A cidade que parece ser o cantinho que sufoca pode ser, paradoxalmente, o cantinho que liberta a sua poesia em cores e em versos!
Um ótimo domingo!

ONG ALERTA disse...

A imaginaçáo nos leva a viajar nas palavras, beijo Lisette.

Renata Diniz disse...

Das voltas que o mundo dá e do estar sem estar, digo das idas e vindas, dos momentos de alegria e consternação e... resistir é preciso. Abraços!

claudete disse...

Que bom este reecontro só nos faz ter a certeza de que o verdadeiro e fiel amigo finca raízes que se entranham e sedimentam amizades profundas. Se estamos em algum lugar é porque é aí que deveriamos estar sempre...Algo bom estará reservado. Abraços .