Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

domingo, 20 de novembro de 2011

ESTRANHA VOZ

Do mistério é que surge a revrelação

ESTRANHA VOZ

No amanhecer dia confere silencio possuído por manifestações de aves e bichos outros. O silencio some, mas permanece ao fundo de cada uma dessas manifestações.

Da porteira do Haras Terra Matre ouço chamado por demais agudo, trinado de alguma maritaca? Aos poucos percebo do ruído voz palavras, bom-dia que de mim arranca recíproca. É ele que diz não ser nenhum malandrim.

Quero ver não vejo, só ouço voz que se aproxima, mais nada.

Belo Horizonte, 20 novembro 2011

SIM

Sonho em mim

Desperta sentido

Antes adormecido

Guardado escondido.

Sonho que faz em mim

Querer querido

Lembrado esquecido

Do antes nunca vivido.

Sonho provocador

Deste sincero calor

Sem fim.

Sonho merecedor

Deste sincero ardor

Não que quer ser sim.

Belo Horizonte, 02 junho 2009

5 comentários:

Célia disse...

As vozes que surgem a cada amanhecer é o conforto do nosso viver. Abraço, Célia.

Sheyla Xavier - DMulheres disse...

Bom dia, belo poema! Os sonhos faz parte da nossa vida!
Bom domingo!
Cheiros

Tina disse...

"O silencio some, mas permanece ao fundo de cada uma dessas manifestações."

"Sonho que faz em mim
Querer querido
Lembrado esquecido
Do antes nunca vivido."

ADOREI!

Adorei tb sua nova, carinhosa, poética visita e comentário :)

Ingrid disse...

e saber ouvir...
um lindo domingo!
beijos..

VeraBruxa disse...

Olá!
Boa semana com sonhos que te façam querer sonhar e sonhar...