Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

quinta-feira, 3 de maio de 2012

INDAGAÇÃO


Instante frontal
INDAGAÇÃO
     Talvez seja efeito da luz farol em São Francisco do Sul sobre meu viver que tenha causado reação tão forte em mim, é o que digo a João da Barra.
    De repente o fulgor da realidade recai sobre meus instantes e percebo estar o Projeto João da Barra muito mais para o delírio do que para execução saudável para o que faço, que aliás não obtém nenhuma resposta física, financeira, frutífera, objetiva ou ao menos que dê ao meu trabalho alguma validade ou serventia.
     Da beira do mar cogito com João da Barra sobre meu próprio viver. Observo e aprendo com cão Jota a não latir em vão.
     Haverá algum sentido com o que faço ou com o que é feito da minha vida?
Belo Horizonte, 03 maio 2012  
VALORIZAÇÃO DA ARTE
     Batistão reforça importância que há em reconhecermos a arte como atividade humana merecedora de apreço e valorização.
     João da Barra percebe na arte a manifestação de momentos eternizados em formas e gestos, mensagens e manifestos dignos de serem preservados e valorizados.
     Fato é que sem dar ao artista o devido valor, a arte termina por ser atrofiada, quando não restrita a um grupo de seres com capacidade de percepção que possa dignificá-la. O que demonstra haver na arte o elemento capaz de refletir a sensibilidade e cultura de um povo, de uma população.
     Em São João da Barra - SJDB no final de 2010 a arte surgiu como tema de discussão para que o Poder Legislativo liberasse 10 milhões de reais para que o Poder Executivo pudesse agilizar programação do verão com shows, festas e eventos esportivos.
     Só para que tenham pequena referência, se considerado o período do verão entre 01 de janeiro a 12 de março, primeiro sábado pós-carnaval, chegaremos a 71 dias de temporada. Ao pegarmos em número redondo os 10 milhões de reais e dividirmos por 71 dias, teremos resultado interessante.
     São R$140845,07 por dia de dinheiro investido só em eventos artísticos e esportivos.
     Será que SJDB valoriza tanto assim a arte, artistas, esportes e atletas?
     É por demais importante valorizar a arte e o esporte, mas usar arte e esporte pura e simplesmente para obtenção de recursos pulverizados sabe-se lá como, aí é crueldade.
Baelo Horizonte, 11 janeiro 2011  

3 comentários:

Yasmine Lemos disse...

A arte sempre sofrendo e os sensíveis ainda mais bjs e obrigada pela visita

Maria José Rezende disse...

Olá. Sua indignação e desabafo têm fundamento. Grande abraço.

Carla Ceres disse...

Oi, Cadinho! Às vezes a gente precisa refletir sobre os resultados dos nossos projetos e escolher o melhor rumo a tomar. Abraço!