Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

PEÇO COM FIRMEZA


Quero do agora um agora de verdade
PEÇO COM FIRMEZA
     No encanto de cada dia paro penso no que posso não posso. Passo por cada passo, caminho repetido milhares, milhões de vezes. Passo vida percorrendo por essas mesmas ruas, eu esquecido do passado que passou, nem quero mais vasculhar futuro.
     Sou presente no presente do presente inconsequente a manter vivo meu viver sem ter como viver por motivo diverso. Hoje o que interessa é vender, mas já venderam meu dia, já tenho meu estoque de paciência meio que esgotado. Mas preciso vender mesmo sabendo que pra mim, mais importante que vender é ter fé naquilo que preciso obter pra manter vivo meu viver.
     Tenho fé e rezo e peço o que peço ao Deus que bem sei não ser meu por ser eu dele. Rezo ainda com mais fervor pedindo a Deus que dê a mim o que hoje não tenho pra fazer o que preciso fazer pra mim e pra quem divide comigo esse mundo que não é meu, mas que é dele, Deus de todas as coisas amém.
Belo Horizonte, 03 setembro 2012
LONGE DO RUIM
     No convívio com Deus tudo desliza por singular calmaria porque estar com Deus é sempre bom. Ruim é saber que não dá pra ficar assim sempre porque o mundo chama, cobra, impõe atitude nossa diante do que acontece.
     Aí saio meio que atordoado com tudo. Hoje não busco notícia nenhuma. Aliás, de notícia ruim estou farto. Mais farto ainda em saber de tanta bobagem esparramada mundo afora. Prefiro o silencio ido à poesia que leio da obra de Mário Quintana.
Belo Horizonte, 26 maio 2012

6 comentários:

Lola disse...

E que Deus, que não é nosso, porque somos dele, te conceda teus pedidos.
Gostei.

Dona Sra. Urtigão disse...

Linda sua oração poesia. Admiro e invejo, de certa forma, as pessoas que tem fé. A mim só foi concedida a dúvida.

Gabriela Palombo disse...

Vdd estar com Deus é tudo de bom.

Ana Miranda disse...

Cadinho, "o agora" sempre é de verdade.

Somos nós quem damos várias interpretações ao nosso "agora" e essas interpretações variam de acordo com nosso humor.

O melhor a fazer é respirar fundo, ver as prioridades, fixar-se nelas e deixar fluir...

Há dias que nem todas as portas se abrem para nós, o melhor a fazer, é voltar à essa porta quando estivermos mais fortes...

E já que temos sabedoria, vamos-que-vamos!!!

Fernando Santos (Chana) disse...

Meu caro, excelente texto....
Cumprimentos

Carla Ceres disse...

Oi, Cadinho! Esse texto é um poema disfarçado de prosa. Abraço!