Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

COLHENDO FRUTOS


Não dá pra gente ignorar o que sabe fazer
COLHENDO FRUTOS

     N vida não adianta a gente querer inventar a roda porque isto já foi inventado. Nem tão pouco querer ignorar certas situações por demais elementares porque do contrário ficaremos dando voltas e mais voltas em torno do nada.
     Ainda hoje ouvi que também não adianta querer ficar só dando pedrada pra acertar a lua, porque o que funciona mesmo é dar pedrada no que dá pra ser atingido. Sou simples e cada vez mais simples em meus posicionamentos e hoje não penso em querer mais do que aquilo que considero o bastante pra realizar o que está por ser feito com êxito e sem necessidade de grandes e espetaculares investidas.
     Faço o que sei, ofereço o que posso, vendo o possível e vivo o que dou conta de viver. Amo sem me preocupar com limite o Deus que rege minha vida e a partir daí é que então exponho o que preciso expor para que eu possa colher do meu trabalho frutos para minha sobrevivência.

Belo Horizonte, 16 novembro  2012

DANÇARINO

     Outras averiguações. A vontade de dançar não chegou a ser tão forte. Mas, havia sim alguma intenção. O bandolim do Tião emanava a vontade de dançar. E depois de presenciar a interpretação do Mauro Rodrigues com sua flauta, o chorinho estampava a euforia da dança.
     Veio então o trombone do Sampaio arrancando do peito qualquer dúvida. Eu dançarino no aceno simpático da noite. Tudo muito simples. São dois passos pra lá, são dois pra cá. A respiração assumida por outro compasso, confundia a dualidade do espaço. Eu estava dançando.

Belo Horizonte, 08 agosto 1998

 

2 comentários:

Camila Locatelli disse...

Nossa, gostei muito do seu primeiro texto, concordo com você no que tange a querer apenas o necessário, pois creio que se ficarmos conectados a coisas inúteis, isso nos fará mal.

Carla Ceres disse...

Concordo com a Camila. O primeiro texto é especial. Abraço!