Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

SINAL DO DIA


Gosto de perceber a sutileza dos sinais transcendentais
SINAL DO DIA
     Não gosto de ficar pensando no passado e nem tão pouco ficar preso a situações a instalarem em mim forte expectativa. Tenho necessidade de trabalhar, ganhar dinheiro como qualquer um de nós. Tenho necessidade de obter reconhecimento financeiro do meu trabalho e por isso passo por situações que dão a mim a experiência de certos efeitos por demais repetitivos.
     Hoje aguardo telefonema que não recebo, hoje penso na necessidade que convivo com ela de sobreviver, simplesmente sobreviver com dignidade.
     É engraçado perceber tanta conversa, tanta promessa, tanta porta fechada. Razão para que eu lembre daquela capela muito discreta que está lá na entrada da Fazenda Campo Alegre, com a imagem de Nossa Senhora Aparecida. Por uma razão simples tenho e trago comigo forte sintonia com essa capelinha. É que creio nos sinais e por algum motivo totalmente espontâneo, tive a oportunidade de conhecer a capela e ver lá dentro a imagem de Nossa Senhora Aparecida no 12 de fevereiro, que é dia que sempre me remete a outro dia 12, que é o de outubro, data dedicada a ela, Nossa Senhora Aparecida.
Belo Horizonte, 28 fevereiro 2013
OUTROS VENTOS
     Há sempre um ruído em meu intimo. O mar incessante que atravessa o mundo de noites e dias.
     Há sempre uma silhueta em meu intimo. O mar parece identifica-la. Eu não. Mergulho assim, no indecifrável mistério a atravessar minhas noites e meus dias.
     Mas não é sempre que o mar surge manso em meu intimo. Vítima de tempestades, eis que eu e o mar reagimos ao vagar dos dias e das noites. Depois, a mudança dos ventos. E o respirar do que poderá ser a esperança.
     Há sempre uma indagação em meu intimo. O mar parece questionar o meu ser, ainda que distante. Tal como o dia, passo pelo sol à procura da lua. Busco a revelação da noite exposta ao encontro da minha busca.
Belo Horizonte, 29 novembro 1999

2 comentários:

Kellen Bittencourt disse...

Olá amigo, muito bacana ambos os textos, eu gosto de mudanças e da forma como os anos mudam nossos pensamentos! Tbém gosto de estar atentas aos sinais que recebemos, e adoro mudanças! Abraçosss

Vanessa Barbosa. disse...

Amigo, estou de volta. Que bom é poder te ler novamente!
Beijos.