Cadinho RoCo – Jeito outro de ler e pintar a vida.

Estréia oficial do Blog – 27 novembro 2006

quarta-feira, 29 de maio de 2013

ASSUNTO DOCE


Série Cadinho de Prosa dos Folhetos Cadinho RoCo

ASSUNTO DOCE

     O assunto dos doces rendeu prosa que continua porque na realidade tudo que é doce exerce certa atração. Mas, como qualquer pretensão de negócio, não é bom esticar com detalhes o que se pretende fazer porque há sempre um esperto à espreita pra avançar sobre ideia do outro. Aliás, já vivi situações assim por algumas vezes em que depois tive que engolir o dissabor de ter iniciativas minhas assumidas por outras assinaturas.
     Sou sujeito desapegado, mas no momento da necessidade não dá pra brincar com o que poderá oferecer solução mais que oportuna.
     Por outro lado, não deixo pra lá a fé que tenho em conseguir emancipar esse Cadinho de Prosa dos Folhetos Cadinho RoCo que é justo o que impulsiona o meu acreditar.
Belo Horizonte, 29 maio 2013

VALORES E VALORES

     Muito que fazer, muito que escrever. Muito que viver, muito que sentir.
     Valores e valores. E diante de todas as coisas, a coisa nenhuma a saborear o ser e o estar. São tantas as maneiras trazidas à sobrevivência que, de repente, chegam a desaparecer.
     Valores e valores.
     Viver por viver. Viver por aí, usando e abusando de tudo que é mundo. Aí, a aparição das oportunidades servidas para o transbordar do que esvazia o ser.
     Valores e valores. Muito que aprender, muito que suportar. Até mesmo quando tudo passa a valer nada.
     Valores e valores.

Belo Horizonte, 30 novembro 2000

4 comentários:

Camila Monteiro disse...

Eita que eu não sou desapegada! Tenho coisas das quais não sei viver sem! Queria ser como vc!
Gostei do texto! Beijos

Lucinalva disse...

Olá Cadinho

Obrigada pela visita ao meu blog, gostei muito, o seu é muito acolhedor. Linda mensagem. Um forte abraço.

Lulu disse...

Certas coisas consigo ter desapego, outras não. Tava sumido do meu blog.
Big Beijos

Carla Ceres disse...

Oi, Cadinho! Quando uma pessoa conhecida copia minhas ideias, posso até ficar quieta, mas não perdoo. Abraço!